Mais Lidas

  1. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  4. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  5. Dilma deve anunciar reajuste de até 9,5% no Bolsa Família

    Brasil

    Dilma deve anunciar reajuste de até 9,5% no Bolsa Família

  6. Petrolão atinge cúpula do PT no Senado

    Brasil

    Petrolão atinge cúpula do PT no Senado

  7. Obama, o piadista, tira sarro de Trump em jantar

    Mundo

    Obama, o piadista, tira sarro de Trump em jantar

  8. Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

    Esporte

    Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

PIB da China pode crescer até 8% em 2012

Segundo o Instituto de Pesquisas Macroeconômicas da Comissão de Desenvolvimento e Reforma Nacional da China, Pequim tem espaço para introduzir mais suporte fiscal e monetário para a economia

- Atualizado em

Bandeira da China
Bandeira da China(Daniel Berehulak/Getty Images/VEJA)

Pequim tem espaço para introduzir mais suporte fiscal e monetário para a economia e não deve ser um problema a China alcançar crescimento econômico entre 7,5% e 8,0% neste ano, segundo o Instituto de Pesquisas Macroeconômicas da Comissão de Desenvolvimento e Reforma Nacional da China.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China avançou 7,6% no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior, abaixo da expansão de 8,1% no primeiro trimestre e marcando o menor avanço trimestral em mais de três anos.

LEIA MAIS:

Educação na China

"Enquanto o índice de preços ao consumidor (CPI) ficar em torno de 2%, há espaço para mais cortes da taxa de juros", disse o vice-diretor do Instituto de Pesquisas Macroeconômicas da Comissão de Desenvolvimento e Reforma Nacional, Wang Yiming, durante um fórum em Pequim.

Wang também afirmou que a China enfrenta desafios para impulsionar o financiamento, porque a economia em desaceleração tem deixado as empresas relutantes em fazer novos empréstimos e os bancos hesitantes para liberar novos créditos. As informações são da Dow Jones.

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM:

Tema: China

Empresas japonesas interrompem produção na China

China retoma liderança na venda de carros em julho

China quer ser reconhecida como economia de mercado pela UE

TAGs:
PIB
China