Negócios

Petrobras perde posto de maior empresa da América Latina

Valor de mercado da empresa está em 126,8 bilhões de dólares - abaixo dos 129,5 bilhões de dólares da colombiana Ecopetrol

Graça Foster, presidente da Petrobras: estatal perde posto para Ecopetrol, da Colômbia

Graça Foster, presidente da Petrobras: estatal perde posto para Ecopetrol, da Colômbia (Marcello Casal/Agência Brasil/VEJA)

A Petrobras perdeu o posto de maior empresa da América Latina. A informação é destaque no jornal britânico Financial Times. Com a queda de 25% do valor da ação nos últimos 12 meses, o valor de mercado da estatal brasileira foi ultrapassado pela também estatal petrolífera Ecopetrol, da Colômbia.

Em reportagem publicada nesta segunda-feira, o jornal afirma que a Petrobras sofreu "um dos movimentos mais dramáticos da indústria de energia no ano passado" e no fim dos negócios de sexta-feira, o valor da brasileira - calculado conforme o preço das ações - era de 126,8 bilhões de dólares. Já a Ecopetrol valia 129,5 bilhões de dólares.

A reportagem destaca que a Ecopetrol desperta a atenção dos investidores, "embora a produção da empresa brasileira seja cerca de três vezes maior que a da colombiana". Para a reportagem, as grandes reservas de recursos naturais e políticas "amigáveis aos negócios" do país vizinho tornaram a Colômbia um local "privilegiado" para o setor de petróleo.

Ao mesmo tempo, diz o texto, "apesar do entusiasmo com as enormes descobertas de petróleo na costa do Brasil, as ações da Petrobras perderam 45% do valor ao longo dos últimos três anos". Segundo o FT, o papel foi "atingido por resultados financeiros decepcionantes e preocupações sobre o enorme investimento necessário para desenvolver esses campos". A reportagem não cita eventual pressão política sobre a estratégia da empresa.

O diretor-presidente da Ecopetrol, Javier Gutiérrez, foi cauteloso ao avaliar os números. "Realmente, não se pode comparar porque a Petrobras é um gigante em muitas frentes", disse ao FT. "O valor de mercado é simplesmente um reflexo da confiança que o mercado tem na Colômbia e na Ecopetrol". A estatal tem 80% do capital controlado pelo governo do presidente Juan Manuel Santos e é responsável por cerca de 80% da produção da commodity na Colômbia.

Apesar do movimento considerado "dramático" com as ações da maior empresa brasileira, o jornal informa que investidores e analistas reconhecem que a derrubada do preço da ação da Petrobras não se justifica pelos fundamentos da empresa.

Leia também: Chile, Peru, Colômbia e México diminuem restrições a importados

(Com Estadão Conteúdo)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados