Tarja - Brasil 2014

Setor aéreo

Número de passageiros transportados por avião deve cair até 15% durante a Copa

Para a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), queda deve-se à redução da demanda por viagens de negócios

Segundo Abear, principal problema enfrentado pelo setor aéreo durante a Copa tem sido o clima

Segundo Abear, principal problema enfrentado pelo setor aéreo durante a Copa tem sido o clima (Genilson Araujo Silva/Agência O Globo)

O número de passageiros transportados pelas companhias aéreas brasileiras deve recuar entre 11% e 15% durante a Copa do Mundo ante igual período do ano passado, deviudo à redução da demanda por viagens de negócios, afirmou o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz. A projeção é baseada no desempenho verificado em outros países que sediaram as últimas duas edições do mundial e as Olimpíadas de 2012.

Segundo a Abear, a média de passageiros transportados para as cidades-sede da competição até agora é de 470 mil/dia, enquanto a taxa de ocupação média nos voos é de 80%. O pico foi registrado no dia 16 de junho, quando foram transportados 501 mil passageiros. Somente na primeira semana do mundial, foram transportados 3,7 milhões de passageiros. Dados comparativos, no entanto, não foram divulgados.

Leia também:
Copa derruba preço de pacotes turísticos   
Refeição em bares e restaurantes encarece no mês da Copa   
Preço de passagem aérea cai, apesar da Copa  
 

Clima - Sanovicz afirmou que o principal problema enfrentado no setor aéreo durante a Copa até agora tem sido o clima. "Nosso principal adversário tem sido São Pedro", disse ele. Ainda assim, o executivo poderou que os impactos dos eventos adversos de clima foram pequenos, afetando os aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Afonso Pena, em Curitiba, e Salgado Filho, em Porto Alegre, que ficaram fechados por algumas horas. "Não houve muito impacto porque não tinha jogos nas cidades", explicou. "Todas as medidas adotadas, de mobilização das companhias aéreas e de gerenciamento integrado, tem sido eficazes", completou.

O maior problema foi registrado no Rio de Janeiro, quando o fechamento afetou torcedores russos que tinham viagem marcada para assistir ao jogo de seu país em outra cidade.

(com agência Reuters e Estadão Conteúdo)

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados