Mais Lidas

  1. Luana Piovani tem nude disparado pelo marido

    Entretenimento

    Luana Piovani tem nude disparado pelo marido

  2. A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima de estupro coletivo

    Brasil

    A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima...

  3. Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no petrolão

    Brasil

    Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no...

  4. Vítima de estupro coletivo no Rio presta novo depoimento

    Brasil

    Vítima de estupro coletivo no Rio presta novo depoimento

  5. Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo em favela do Rio de Janeiro

    Brasil

    Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo...

  6. Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

  7. Família Obama já escolheu onde vai morar após deixar a Casa Branca

    Mundo

    Família Obama já escolheu onde vai morar após deixar a Casa Branca

  8. "Não dói no útero, dói na alma", diz vítima de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    "Não dói no útero, dói na alma", diz vítima de estupro coletivo no Rio

Governo anuncia propostas para injetar R$ 83 bi na economia

Expansão do financiamento viria com medidas que incluem créditos rural e habitacional e estímulo a projetos de infraestrutura

- Atualizado em

Presidente Dilma Rousseff coordena a 44ª Reunião Ordinária do Pleno do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), em Brasília - 28/01/2016
A presidente Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, na abertura do Conselhão, nesta quinta(Lula Marques/Agência PT/Divulgação)

Em seu pronunciamento na cerimônia de reinstalação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, nesta quinta-feira, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, defendeu a expansão do crédito adotando sete medidas. Pelos seus cálculos, elas têm potencial de elevar a oferta de crédito em 83 bilhões de reais.

A primeira é a retomada da linha de pré-custeio do Banco do Brasil - modalidade de crédito rural para aquisição antecipada de insumos agrícolas - no valor de 10 bilhões de reais. Barbosa também sugeriu a aplicação de recursos do FGTS em Certificado de Recebíveis Imobiliários, liberando a capacidade de financiamento para novas operações, com objetivo de aumentar o crédito habitacional também no valor de 10 bilhões de reais.

O maior empenho apresentado por Barbosa foi para agilizar a aplicação do FI-FGTS (Fundo de Investimento do FGTS) em infraestrutura, além da emissão de debêntures de infraestrutura, no total de 22 bilhões de reais. Em outra frente, o ministro sugeriu reabrir linha de capital de giro do BNDES, com garantia do FGI (Fundo Garantidor para Investimentos), e redução da taxa de juros, no total de 5 bilhões de reais.

Também no banco de fomento, o ministro anunciou a abertura de linha de refinanciamento para prestações do PSI (Programa de Sustentação do Investimento) e do Finame (Financiamento de máquinas e equipamentos), no total de 15 bilhões de reais. Para o mercado exportador, o ministro da Fazenda falou em aumento de prazo máximo e redução da taxa de juros da linha de embarque, medida avaliada em 4 bilhões de reais.

Por último, o ministro anunciou a autorização da utilização de 17 bilhões de reais do FGTS como garantia para o crédito consignado. Ele lembrou que a medida precisa de aprovação do Congresso Nacional.

Leia mais:

Conselhão: portas fechadas para abafar as angústias

No Conselhão, Barbosa propõe limitar aumento do gasto público

(Com Estadão Conteúdo)