Crise do Euro

Grécia pode ficar sem ajuda, diz ministro alemão

Segundo ministro das Relações Exteriores, a expectativa está na formação de uma coalizão e se cumpra as medidas de austeridade

Diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, em encontro com o ministro das Finanças grego, Evangelos Venizelos

Diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, em encontro com o ministro das Finanças grego, Evangelos Venizelos (Yves Herman/Reuters)

O ministro das Relações Exteriores alemão, Guido Westerwelle, disse que a ajuda da União Europeia à Grécia pode ser suspensa caso não cumpra com os compromissos firmados e as reformas. Em declarações publicadas neste sábado pelo portal Die Welt, porém, ele disse que a Alemanha deseja que a Grécia consiga formar uma coalização no seu parlamento e se reenguer. Os temores invadiram a Zona do Euro após as eleições de domingo passado porque os partidos favoráveis à austeridade não conquistaram maioria para formar o governo.

Neste sábado, o líder social-democrata Pasok, Evangelos Venizelos, desistiu de tentar formar uma nova coalizão no parlamento grego. Ele recebeu o mandato para tentar costurar um acordo na quinta-feira. Ele informou o chefe de estado da Grécia, o presidente Karolos Papoulias, que alcançou um acordo com os conservadores da Nova Democracia e o partido de centro-esquerda Dimar para participar do Gabinete, mas que isso não foi suficiente por causa da oposição do partido de esquerda Syriza, segundo mais votado nas eleições da última semana.

O chefe do Syriza, Alexis Tsipras, disse que os acordos de austeridade assinados pelos dois grandes partidos gregos com a União Europeia são o grande empecilho para a participação na coalizão. Evangelos Venizelos começa a cogitar a convocação de novas eleições para resolver o impasse.

(com agência EFE)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados