Mais Lidas

  1. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

  2. Secretário-geral da OEA invoca cláusula democrática por crise na Venezuela

    Mundo

    Secretário-geral da OEA invoca cláusula democrática por crise na...

  3. Doença que causa feridas e desfigura o rosto das vítimas está se espalhando no Oriente Médio

    Mundo

    Doença que causa feridas e desfigura o rosto das vítimas está se...

  4. Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre caso de estupro

    Entretenimento

    Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre...

  5. Conselho do MP nega pedido de Lula para afastar procurador da Lava Jato

    Brasil

    Conselho do MP nega pedido de Lula para afastar procurador da Lava...

  6. Comissão dá prazo de 20 dias para ministros de Temer se defenderem de acusações do PT

    Brasil

    Comissão dá prazo de 20 dias para ministros de Temer se defenderem...

  7. Odebrecht assina pré-acordo de delação premiada

    Brasil

    Odebrecht assina pré-acordo de delação premiada

  8. Ex-ministros de Dilma e ex-presidentes da Petrobras e Correios vão receber salário por 6 meses

    Brasil

    Ex-ministros de Dilma e ex-presidentes da Petrobras e Correios vão...

Dilma se ausenta, de novo, do Fórum Econômico Mundial

Caberá ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, explicar as estratégias do governo brasileiro para a retomada da confiança no país

Por: Luís Lima - Atualizado em

A presidente Dilma Rousseff na cerimônia de sanção do marco legal da ciência, tecnologia e inovação e lançamento da chamada universal, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF)
A última vez que a presidente participou da reunião anual foi em 2014(Adriano Machado/Reuters)

O Fórum Econômico Mundial não está mesmo na lista de prioridades da presidente Dilma Rousseff. Pelo segundo ano consecutivo, ela não consta da lista de participantes, divulgada pelo evento nesta quarta-feira. A última vez que a presidente participou do encontro foi em 2014. No ano passado, ela preferiu participar da posse do terceiro mandato do presidente da Bolívia, Evo Morales. Este ano, em meio à instabilidade política e ao aprofundamento da crise econômica, Dilma resolveu, novamente, ficar no país.

Mais de 50 chefes de governo ou Estado, participarão da reunião anual, que acontecerá de 20 a 23 de janeiro, na estação de esqui de Davos, na Suíça. Da América Latina, vão Mauricio Macri, presidente da Argentina, Enrique Pena Nieto, presidente do México, e Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia. Também estarão presentes o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, seus colegas britânico, David Cameron, e canadense, Justin Trudeau, e o vice-presidente americano, Joe Biden.

Com a ausência de Dilma, caberá ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, responder aos cerca de 2,5 mil empresários as estratégias do Planalto para restabelecer a confiança no governo brasileiro e retomar o crescimento do país. A pequena delegação brasileira também contará com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho e o secretário de Inovação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Marcos Vinícius de Souza.

Entre os nomes do setor privado nacional, estão os do presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, do economista-chefe do banco Itaú, Ilan Goldfajn, e do presidente do BTG Pactual, Persio Arida, que substitui André Esteves, preso em novembro, acusado de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.

Leia mais:

Recall de veículos cresce 85% no país em 2015

EUA exportam petróleo pela primeira vez em 40 anos

TAGs:
Dilma Rousseff
Nelson Barbosa
Fórum Econômico Mundial