Mais Lidas

  1. Comissão no Senado se reúne para votar parecer pró-impeachment. Acompanhe ao vivo

    Brasil

    Comissão no Senado se reúne para votar parecer pró-impeachment....

  2. Na casa de Cunha, clima de velório após afastamento

    Brasil

    Na casa de Cunha, clima de velório após afastamento

  3. Câmara questiona Lula e Dilma por discursos sobre 'golpe'

    Brasil

    Câmara questiona Lula e Dilma por discursos sobre 'golpe'

  4. Após 2 mil anos, China encerrará monopólio sobre o sal

    Economia

    Após 2 mil anos, China encerrará monopólio sobre o sal

  5. Bateria que dura 'a vida toda' pode estar a caminho, afirmam cientistas

    Ciência

    Bateria que dura 'a vida toda' pode estar a caminho, afirmam...

  6. Comissão do impeachment aprova parecer e abre caminho para afastamento de Dilma

    Brasil

    Comissão do impeachment aprova parecer e abre caminho para...

  7. PM faz reintegração de posse no Centro Paula Souza

    Brasil

    PM faz reintegração de posse no Centro Paula Souza

  8. PM prende cinco jovens por suspeita de furto de equipamentos do Centro Paula Souza

    Brasil

    PM prende cinco jovens por suspeita de furto de equipamentos do...

Classe C ganha 40,3 milhões de brasileiros em sete anos

Crescimento de 64,3% fez classe passar a representar 54% da população

- Atualizado em

Estreantes no consumo de massa, gastos supérfluos da classe C preocupam
103 milhões de brasileiros - 54% da população - pertenciam à classe C em 2011(Jorge Araujo/Folha Imagem/VEJA)

O número de brasileiros que ascenderam à classe C no Brasil chegou a 40,3 milhões em sete anos. Segundo o estudo "O Observador Brasil 2012", divulgado nesta quinta-feira, a classe média brasileira passou 62.702.248 para 103.054.685 de pessoas entre 2005 e 2011 - alta de 64,3%.

O levantamento mostra que a classe C passou de 34% para 54% da população e se tornou a maior classe econômica do país. No mesmo período, as classes A e B cresceram de 15% para 22% dos brasileiros e e as classes D e E caíram 51% para 24% do total.

A metodologia utilizada para classificar os brasileiros no estudo da Cetelem BGN, empresa do grupo BNP Paribas, foi o Critério de Classificação Econômica Brasil (CCEB). Comumente tratado por Critério Brasil, ele estima o poder de compra dos indivíduos e famílias urbanas, dividindo-os por classes econômicas (A1, A2, B1, B2, C, D, E) com base nos bens domiciliares (como geladeira, televisão e máquina de lavar) e no grau de escolaridade do chefe de família.

Foram realizadas 1,5 mil entrevistas com pessoas com 16 anos ou mais em 70 cidades do país - sendo nove regiões metropolitanas - entre 17 e 23 de dezembro de 2011.

Desenvolvido em parceria com a Ipsos Public Affairs, a pesquisa mostra que a renda média familiar brasileira cresceu entre 2005 e 2011. A renda da classe média passou de 1.107 reais para 1.450 reais - alta de 30,9% - no período e a renda geral da população aumentou de 974 reais para 1.618 reais - crescimento de 66,1%.

Entre 2010 e 2011, o aumento da renda média familiar geral foi impulsionada pela classe C. A renda dos integrantes da classe C passou de 1.338 reais para 1.450 reais, única faixa da população em que foi observado crescimento. Nas classes A e B a renda média familiar caiu de 2.983 reais para 2.907 reais e, nas classes D e E, baixou de 809 reais para 792 reais.

(Com Agência Estado)

TAGs:
Brasil
Classe C
Classe Média