Mais Lidas

  1. Messi desiste da seleção após novo fracasso da Argentina: 'Acabou para mim'

    Esporte

    Messi desiste da seleção após novo fracasso da Argentina: 'Acabou...

  2. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  3. Em noite de juiz 'pavão' e pênalti de Messi a la Baggio, Chile é campeão da Copa América Centenário

    Esporte

    Em noite de juiz 'pavão' e pênalti de Messi a la Baggio, Chile é...

  4. Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes sociais

    Entretenimento

    Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes...

  5. Polícia municipal de SP mata criança de 11 anos durante perseguição

    Brasil

    Polícia municipal de SP mata criança de 11 anos durante perseguição

  6. Bom para ambas as partes?

    Brasil

    Bom para ambas as partes?

  7. 'Que país é esse?' Moro é aplaudido durante show em Curitiba

    Brasil

    'Que país é esse?' Moro é aplaudido durante show em Curitiba

  8. Attuch, o porta-voz da quadrilha

    Brasil

    Attuch, o porta-voz da quadrilha

Classe C é a única que gasta mais do que ganha, diz pesquisa

Pesquisa feita pelo instituto Kantar Worldpanel mostra que a classe média gasta 2% a mais do que ganha - e está endividada

- Atualizado em

Consumidores lotam as lojas da Rua 25 de Março, em São Paulo, para as compras de Natal - 12/12/2010
Pesquisa mostra que classe C é o grupo que mais gasta além do salário(Sebastião Moreira/EFE/VEJA)

De todas as classes sociais brasileiras, a única que gasta mais do que ganha é a C. Em estudo sobre consumo realizado pela consultoria Kantar Worldpanel, o segmento aparece com déficit de 2% na relação entre renda e gasto. Tanto a classe AB quanto a DE ficaram com saldo positivo nesta análise, de 1% e 4% respectivamente. "Praticamente todo mundo está gastando o que ganha, porque esses 4% da classe DE significam muito pouco", avalia a diretora comercial da instituição no Brasil, Christine Pereira. O estudo é feito semanalmente em 8.200 domicílios do país e monitora o comportamento de 27.500 mil consumidores. O resultado divulgado nesta quinta-feira compila dados do ano de 2011.

De acordo com Christine, a classe C representa 41% da população brasileira, e seu endividamento colabora para a recente desaceleração do consumo. A Kantar Worldpanel considera para o estudo que a classe C ganha em média 2.027,70 reais (renda familiar) e gasta 2.060,12 reais. Nos últimos dois anos, o segmento diminuiu o número de visitas mensais a pontos de venda de varejo tradicional em duas vezes, de 13 para 11 visitas no mês.

Despesas como educação e vestuário, classificadas como "outras despesas", respondem pela maior parte dos gastos da classe C (38%). Na sequência, aparecem despesas fixas, como habitação, transporte e serviços públicos (33%), seguida por uma cesta de bens de consumo não duráveis definida pela entidade (28%).

Leia mais:

Inadimplência do consumidor desacelera em agosto, mas sobe 7%

Produtos - O estudo analisou ainda a penetração de 120 categorias e subcategorias de produtos nas classes sociais. A classe C já conquistou 46% das categorias, está em processo de conquista de 31% e ainda precisa conquistar 23%. O estudo considera como consolidada a conquista quando a categoria de produto tem 50% de penetração nos domicílios. Nesse caso, a análise foi feita entre julho de 2011 e junho de 2012.

Em uma lista reduzida de 25 categorias, a classe C tem defasagem no consumo de dez itens: TV cabo e ou satélite, CD laser, aspirador de pó, ar condicionado, câmera digital, congelador/ freezer, câmera de vídeo/filmadora, home theater, secadora de roupas e lava louça. A classe AB não conquistou os quatro últimos itens listados.

Gasto - A classe C reforça o grupo de 52% das famílias que gasta mais do que ganha. Dentro do número de brasileiros que gastam mais do que ganham, 27% estão "enforcados" e 25% se mantêm relativamente equilibrados - gastando pouco a mais do que ganham, de acordo com o estudo da Kantar Worldpanel. Em 2008, o porcentual de famílias que estavam com gastos acima da renda era de 49%.

A expectativa da diretora comercial da Kantar Worldpanel é de que a quantidade de pessoas que gastam além da renda continue acima dos 50% até o final do ano. "Há uma sofisticação do consumo do brasileiro, que está incorporando novas despesas à sua vida. À medida que houver emprego e renda, o consumo vai continuar a crescer", afirma.

Outra análise feita pela instituição mostra que 72% das famílias paulistas e cariocas tem intenção de poupar. O número de pessoas que pensa em economizar dinheiro mais que dobrou desde 2008, quando o porcentual era de 29%.Na comparação com a América Latina, o país também sai na frente na intenção de poupar, já que 63% do bloco afirmou que pretende economizar.

Metade dos brasileiros que responderam que querem poupar afirmaram que gostariam de economizar 10% da renda. Em primeiro lugar na intenção de investir aparece a reserva para o futuro. Na sequência, vêm reformas e melhorias na casa e a compra da casa própria. O estudo foi realizado nas regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

(Com Agência Estado)

TAGs:
Classe C