Mais Lidas

  1. Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no petrolão

    Brasil

    Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no...

  2. Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

  3. Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo em favela do Rio de Janeiro

    Brasil

    Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo...

  4. OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos no Rio

    Brasil

    OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos...

  5. Bolsa Família perdeu R$ 2,6 bilhões com fraudes

    Brasil

    Bolsa Família perdeu R$ 2,6 bilhões com fraudes

  6. China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

    Economia

    China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

  7. Alexandre de Moraes: 'Todos serão investigados'

    Brasil

    Alexandre de Moraes: 'Todos serão investigados'

  8. STF dá prazo de cinco dias para Temer se explicar sobre reforma administrativa

    Brasil

    STF dá prazo de cinco dias para Temer se explicar sobre reforma...

Argentina pede que EUA revoguem liminar que a impede de pegar emprestado no mundo

Governo argentino está assumindo atitude mais agressiva com os credores internacionais para tentar encerrar a renegociação do calote de 2001

- Atualizado em

Público aguarda a posse do novo presidente da Argentina Mauricio Macri em Buenos Aires, na manhã desta quinta-feira (10)
Em 2001, a Argentina deu um calote em mais de 80 bilhões de dólares, o maior calote soberano na época(Martin Acosta/Reuters)

O governo da Argentina entrou com um pedido na Justiça americana para que ela revogue uma liminar que vem impedindo o país de pegar emprestado no mercado internacional de capitais. O pedido faz parte de uma tentativa da Argentina de pressionar os detentores de títulos da dívida de quando o país deu calote, em 2001. Recentemente, a maior parte deles rejeitou uma oferta argentina de conciliação.

A proposta apresentada pelo secretário de Finanças da Argentina, Luis Caputo, previa o pagamento de cerca de 6,5 bilhões de dólares dos 9 bilhões de dólares da dívida argentina e foi aceita por dois dos seis fundos. Na quinta-feira, o juiz Thomas Griesa pediu aos detentores desses títulos que expliquem, até 18 de fevereiro, por que não aceitaram a oferta argentina.

O pedido feito à Justiça americana mostra que o governo de Mauricio Macri está assumindo uma atitude mais agressiva com os credores internacionais, na tentativa de encerrar a renegociação do calote de quinze anos atrás.

Em 2001, a Argentina anunciou um calote de mais de 80 bilhões de dólares. Foi o maior default de dívida soberana da história.

Leia também:

Argentina negocia débitos, e quatro de seis fundos credores rejeitam proposta

Argentina reformula indicadores econômicos para recuperar credibilidade

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Argentina