Mais Lidas

  1. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  4. Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

    Brasil

    Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

  5. Ministério Público aponta R$ 2,5 bilhões em fraudes no Bolsa Família

    Economia

    Ministério Público aponta R$ 2,5 bilhões em fraudes no Bolsa Família

  6. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  7. Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre caso de estupro

    Entretenimento

    Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre...

  8. Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

    Mundo

    Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

Ações do Wal-Mart recuam por denúncias de suborno no México

'New York Times' afirmou que o varejista do obstruiu uma investigação interna sobre suborno em filial mexicana

- Atualizado em

Loja do supermercado Wal-Mart
Loja do supermercado Wal-Mart. Ações em queda após notícia do NYT(Divulgação/VEJA)

As ações do Wal-Mart recuavam mais de 3% nas negociações antes da abertura das bolsas nos Estados Unidos, acompanhando um artigo publicado no New York Times (NYT) no final de semana que afirmou que a maior varejista do mundo obstruiu uma investigação interna sobre suborno em sua filial mexicana, a Wal-Mart de México.

De acordo com o NYT, em setembro de 2005, um advogado sênior do Wal-Mart foi alertado por um ex-executivo do Wal-Mart de México sobre o uso de suborno para acelerar a abertura de lojas no México.

O Wal-Mat então enviou investigadores para a Cidade do México e descobriu documentos sobre centenas de pagamentos suspeitos totalizando mais de 24 milhões de dólares, mas os líderes da companhia encerraram a investigação e não notificaram os responsáveis pela aplicação da lei no México ou nos Estados Unidos, segundo o jornal.

O Citigroup disse em nota que, depois de discussões com o Wal-Mart, acreditava que a varejista iria conduzir uma revisão "completa e minuciosa" e afirmou que qualquer pressão sobre a ação era "uma oportunidade de compra".

Especialistas legais e em varejo afirmaram que as alegações, se provadas verdadeiras, podem prejudicar a companhia e sua administração por anos. Elas podem levar a uma investigação global que vai consumir tempo da companhia e a substanciais penalidades financeiras a autoridades dos EUA, além da saída de alguns executivos.

TAGs:
Estados Unidos