Mais Lidas

  1. O PT assaltou até funcionários públicos endividados

    Brasil

    O PT assaltou até funcionários públicos endividados

  2. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  3. Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

    Entretenimento

    Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

  4. Pronto, os ingleses falaram. E falaram grosso

    Mundo

    Pronto, os ingleses falaram. E falaram grosso

  5. A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

    Brasil

    A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

  6. Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

    Entretenimento

    Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

  7. Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após viagem oficial com Lula à África

    Brasil

    Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após...

  8. Roger Abdelmassih é indiciado novamente por estupros

    Brasil

    Roger Abdelmassih é indiciado novamente por estupros

Ações do Wal-Mart recuam por denúncias de suborno no México

'New York Times' afirmou que o varejista do obstruiu uma investigação interna sobre suborno em filial mexicana

- Atualizado em

Loja do supermercado Wal-Mart
Loja do supermercado Wal-Mart. Ações em queda após notícia do NYT(Divulgação/VEJA)

As ações do Wal-Mart recuavam mais de 3% nas negociações antes da abertura das bolsas nos Estados Unidos, acompanhando um artigo publicado no New York Times (NYT) no final de semana que afirmou que a maior varejista do mundo obstruiu uma investigação interna sobre suborno em sua filial mexicana, a Wal-Mart de México.

De acordo com o NYT, em setembro de 2005, um advogado sênior do Wal-Mart foi alertado por um ex-executivo do Wal-Mart de México sobre o uso de suborno para acelerar a abertura de lojas no México.

O Wal-Mat então enviou investigadores para a Cidade do México e descobriu documentos sobre centenas de pagamentos suspeitos totalizando mais de 24 milhões de dólares, mas os líderes da companhia encerraram a investigação e não notificaram os responsáveis pela aplicação da lei no México ou nos Estados Unidos, segundo o jornal.

O Citigroup disse em nota que, depois de discussões com o Wal-Mart, acreditava que a varejista iria conduzir uma revisão "completa e minuciosa" e afirmou que qualquer pressão sobre a ação era "uma oportunidade de compra".

Especialistas legais e em varejo afirmaram que as alegações, se provadas verdadeiras, podem prejudicar a companhia e sua administração por anos. Elas podem levar a uma investigação global que vai consumir tempo da companhia e a substanciais penalidades financeiras a autoridades dos EUA, além da saída de alguns executivos.

TAGs:
Estados Unidos