- Atualizado em

Fobos
Concepção artística do planeta Marte com sua maior lua, Fobos, à frente. O satélite natural é o destino da sonda russa(Walter Myers/SPL/VEJA)

A sonda interplanetária russa Fobos-Grunt, que se perdeu na órbita da Terra a caminho de Marte, deu sinais de vida. A informação é da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês).

A ESA indicou que a base terrestre de Perth, na Austrália recebeu sinais da sonda nesta terça-feira. Foi a primeira vez que se conseguiu estabelecer contato com a a espaçonave lançada ao espaço há duas semanas.

A lua marciana Fobos tem o formato de uma batata
A lua marciana Fobos tem o formato de uma batata(Nasa/VEJA)

"Estabelecemos comunicação com o aparelho, mas por enquanto não recebemos informações", disse à agência de notícias oficial russa Itar-Tass o representante da ESA na Rússia, Rene Pishel. O contato ocorreu horas após o subdiretor da Roscosmos, a agência espacial russa, Vitaly Davydov, considerar a sonda praticamente perdida.

A ESA anunciou que estuda agora maneiras de manter a comunicação com a sonda e ressaltou que suas equipes estão trabalhando junto com engenheiros da Rússia para determinar a melhor maneira de manter a comunicação.

Lançada há 15 dias, a Fobos-Grunt deveria cumprir uma missão de 34 meses que incluía o voo a Fobos (uma das duas luas de Marte), um pouso à superfície do satélite natural e, por fim, o retorno à Terra com uma cápsula de amostras do solo da lua marciana.

O projeto, avaliado em 170 milhões de dólares, tinha como objetivo estudar a matéria inicial do sistema solar e ajudar a explicar a origem de Fobos e Deimos - a segunda lua marciana -, assim como dos demais satélites naturais do Sistema Solar.

(Com Agência EFE)

TAGs:
Espaço
Marte
Rússia