Arqueologia

Pesquisadores descobrem maior rato do mundo

Ele viveu há cerca de 1.500 anos, no Timor-Leste, e pesava seis quilos, três vezes mais que os maiores ratos atuais

A ossada encontrada no Timor-Leste (fileira de dentes, à esquerda): o roedor era três vezes maior que um rato comum moderno (crânio à direita)

A ossada encontrada no Timor-Leste (fileira de dentes, à esquerda): o roedor era três vezes maior que um rato comum moderno (crânio à direita) (AFP/CSIRO)

O maior rato já identificado viveu por volta de 1.500 anos atrás, pesava até seis quilos, três vezes mais que os maiores ratos atuais, e vivia no Timor-Leste. Análises de ossos escavados por pesquisadores australianos e americanos em cavernas da ilha do Timor, localizada na Ásia, mostram que os ossos escontrados são do maior rato que pisou na Terra. As escavações ainda descobriram ossos de 13 roedores, 11 dos quais nunca foram registrados pela ciência antes.

Segundo os pesquisadores, os ratos gigantes viveram ainda até cerca de 1.500 anos atrás, mas foram extintos por causa do desmatamento nas florestas da ilha do Timor, derrubadas para a agricultura. Apesar disso, os cientistas que fizeram a descoberta acreditam que algumas espécies encontradas na escavação ainda possam estar vivas no que restou da cobertura florestal do país. O rato gigante fazia parte do gênero Coryphomys, já extinto.

Atualmente, os maiores ratos que se têm notícia chegam a dois quilos e vivem nas florestas das Filipinas e na Nova Guiné, ilha asiática próxima à Indonésia.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados