Mais Lidas

  1. TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

    Brasil

    TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

  2. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  3. Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína Paschoal

    Brasil

    Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína...

  4. Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de agredir esposa

    Brasil

    Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de...

  5. Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de denúncia na Câmara

    Brasil

    Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de...

  6. MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

    Brasil

    MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

  7. Temer diz que não será candidato em 2018

    Brasil

    Temer diz que não será candidato em 2018

  8. Reale defende impeachment no Senado: 'Crime de responsabilidade sem punição é golpe'

    Brasil

    Reale defende impeachment no Senado: 'Crime de responsabilidade sem...

Pesquisa derruba teoria do "lobo mau"

Animais de criação, como vacas e ovelhas, compõem menos de 1% de sua dieta

- Atualizado em

Os cientistas coletaram mais de 3 mil amostras de fezes de lobo, a fim de encontrar evidências presas do animal que ainda não estivessem digeridas, como pelos, ossos, cascos e dentes.
Os cientistas coletaram mais de 3 mil amostras de fezes de lobo para identificar suas presas(Copyright Stefan Seidel/VEJA)

A alimentação do lobo (Canis lupus) é tema de muitas lendas e fábulas, que pintam o bicho como uma grande ameaça a animais domésticos ou seres humanos. De fato, os lobos são ótimos predadores. O perigo que a espécie representa a humanos e animais domésticos é, no entanto, superestimado, segundo cientistas do Instituto de Pesquisa Senckenberg, na Alemanha. Após anos estudando os hábitos alimentares do animal selvagem, a teoria do 'lobo mau' foi colocada abaixo.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Wolf (Canis lupus) feeding habits during the first eight years of its occurrence in Germany

Onde foi divulgada: revista Mammalian Biology

Quem fez: Carina Wagner, Maika Holzapfel, Gesa Kluth, Ilka Reinhardt e Hermann Ansorge

Instituição: Instituto de Pesquisa Senckenberg, Alemanha

Dados de amostragem: 3.000 amostras de fezes de lobos

Resultado: A maior parte da alimentação dos lobos são espécies de cervídeos; animais de criação, como vacas e ovelhas, respondem por menos de 1% da dieta, o que mostra que os lobos não são uma ameaça para fazendas ou humanos.

Os pesquisadores coletaram mais de 3 mil amostras de fezes de lobos que vivem na Alemanha e procuraram evidências de suas presas, como pelos, ossos, cascos e dentes não digeridos. Com esses dados, os zoólogos puderam detalhar a dieta do carnívoro e chegaram a resultados tranquilizadores. Apenas 0,6% da biomassa encontrada era de animais de criação, como vacas e ovelhas, e não foi encontrado nenhum vestígio humano.

O estudo descobriu que 96% das presas dos lobos são animais ungulados selvagens - mamíferos cujos dedos são providos de cascos. A maioria são corças (Capreolus capreolus), que somam 55,3%, seguidas pelos veados-vermelhos (Cervus elaphus), que são 20,8%, pelos javalis (Sus scrofa), que representam 17,7% da alimentação dos lobos, e pelas lebres, cerca de apenas 3%.

Além de analisar o que esses animais selvagens comem atualmente, a pesquisa também investigou como os hábitos alimentares mudaram ao longo dos últimos oito anos. Durante os primeiros anos, a proporção de veados vermelhos que eram consumidos pelo bicho era consideravelmente maior, enquanto a de corças era muito menor. Segundo a pesquisa, a mudança de padrões de alimentação está ligada a alterações nas condições ambientais. Nos últimos cinco anos, porém, a variedade da dieta se manteve constante.

Por fim, os cientistas concluíram que o perigo de lobos para os humanos é praticamente nulo. O estudo foi publicado no periódico Mammalian Biology.

TAGs:
Animais
Comportamento Animal
Pesquisa Científica