Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

    Entretenimento

    Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

  3. Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

    Brasil

    Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

  4. Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a Dilma

    Brasil

    Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a...

  5. 'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

    Entretenimento

    'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

  6. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  7. Ursinho, fraldas e um chocalho de ouro: confira a lista de presentes da princesa Charlotte

    Mundo

    Ursinho, fraldas e um chocalho de ouro: confira a lista de...

  8. Desinteresse por sexo: isso é mais comum do que se imagina

    Saúde

    Desinteresse por sexo: isso é mais comum do que se imagina

Nobel de Química vai para criadores de moléculas complexas

Trabalho auxiliou na fabricação de medicamentos de combate ao câncer

- Atualizado em

Qumícos premiados Nobel
O anúncio dos vencedores: Heck, Negishi e Suzuki(Janerik Henriksson/EFE/VEJA)

Segundo a Academia Sueca de Ciências, o prêmio foi aos três por inventarem uma maneira "eficiente e precisa" de criar moléculas complexas

O prêmio Nobel de Química de 2010 foi concedido nesta quarta-feira pela Academia Real Sueca de Ciências para três químicos que facilitaram a criação de moléculas orgânicas complexas, essenciais na fabricação de remédios e até produtos eletrônicos, como telas de cristal líquido. Vão dividir o prêmio de 1,5 milhão de dólares os químicos japoneses Ei-ichi Negishi, de 75 anos, Akira Suzuki, 80, e o americano Richard F. Heck, de 79, por criarem um processo que utiliza o elemento químico paládio para a formação dessas moléculas.

É a quinta vez que o Nobel vai para cientistas envolvidos em processos que facilitem a formação de moléculas complexas - a primeira vez foi o químico francês Victor Grignard, em 1912. A importância desses processos está no fato de que os átomos de carbono, base das moléculas dos seres vivos (a vida na terra é baseada no carbono), são bastante estáveis, e por isso não se conectam facilmente a outros elementos. Nas reações criadas por Heck, na década de 50, Negishi, em 1977, e Suzuki, em 1979, foi usado o elemento paládio para estimular a formação de grandes moléculas de carbono.

O paládio torna possível sintetizar em laboratório moléculas complexas que só existem na natureza. Sem a reação criada pelos três, seria impossível fabricar medicamentos para combater o câncer, ou mesmo telas de cristal líquido. Um exemplo é a palitoxina, molécula presente em um animal marinho, que é composta por 129 átomos de carbono, 223 de hidrogênio, três de nitrogênio e 54 de oxigênio, e está sendo estudada como uma droga quimioterápica. Ela só pôde ser sintetizada em laboratório por causa das reações desenvolvidas pelos três químicos.

TAGs:
Prêmio Nobel