Por: Aretha Yarak e Jones Rossi - Atualizado em

O uso de células-tronco no tratamento de doenças ainda está na infância. "Há uma diferença muito grande entre tratamento e tentativa terapêutica", afirma a geneticista Mayana Zatz. Mas, aos poucos, aparecem os primeiros resultados, como no tratamento bem sucedido de leucemias e anemias. Outra área promissora é a dos transplantes, na qual a utilização de células-tronco podem, no futuro, acabar com a rejeição aos órgãos sem o uso de medicamentos. Há destinos diversos para os diferentes tipos de células. Nos vídeos abaixo, Mayana Zatz explica cada um deles e também fala sobre as questões controversas que envolvem o emprego das células-tronco embrionárias.

TAGs:
Universidade de São Paulo - USP
Células-tronco
Genética