- Atualizado em

O Observatório Europeu do Sul (ESO) apresenta ilustração do European Extremely Large Telescope (E-ELT), que será o maior telescópio óptico infravermelho no mundo localizado em Cerro Armazones, uma montanha 3.060 metros no deserto de Atacama, Chile
O European Extremely Large Telescope será construído em Cerro Armazones, no Chile. A previsão é que o telescópio entre em funcionamento no início da próxima década(L. Calcada/ESO/AFP/VEJA)

O conselho diretor do Observatório Europeu do Sul (ESO) aprovou na noite de segunda-feira a construção do maior telescópio ótico do mundo, o European Extremely Large Telescope (E-ELT), que ficará em Cerro Armazones, norte do Chile. O projeto vem sendo discutido desde 2005 e a previsão é que e o E-ELT entre em funcionamento no início da próxima década.

Saiba mais

EUROPEAN EXTREMELY LARGE TELESCOPE (E-ELT)

O E-ELT pertence a uma classe de telescópios chamada Extremely Large Telescopes (ELT, Telescópios Extremamente Grandes). São telescópios com um espelho de diâmetro superior a 20 metros. Todos os ELTs estão em fase de projeto ou construção. Os cientistas esperam que eles aumentem a chance de encontrar planetas parecidos com a Terra em volta de outras estrelas, o conhecimento sobre a origem do universo e descobertas inéditas. A grande vantagem dos ELTs é a quantidade de luz que conseguem coletar. Isso faz com que eles enxerguem objetos nunca antes observados. Conheça outros projetos de ELT:

GIANT MAGELLAN TELESCOPE

O GMT (Giant Magellan Telescope, Telescópio Gigante de Magalhães) é um telescópio de 25,4 metros de diâmetro que contará com um sistema de sete espelhos de 8,4 metros. O complexo ótico será construído no Deserto do Atacama, no Chile, e é financiado por institutos dos Estados Unidos, Austrália e Coreia do Sul. A previsão é de que ele fique pronto em 2018.

THIRTY METER TELESCOPE

O TMT (Thirty Meter Telescope, Telescópio de Trinta Metros) é um telescópio planejado para 2018 que vai usar um espelho segmentado, parecido com o do E-ELT, de 30 metros de diâmetro. O projeto é uma parceria entre os Estados Unidos, Canadá, Japão, Índia e China. Ele será construído no Havaí e fará observações entre as faixas ultravioleta e infravermelho do espectro. As imagens do TMT serão 10 vezes mais nítidas que as do Telescópio Espacial Hubble.

A decisão de dar início ao projeto foi tomada depois que dois terços do conselho diretor do ESO (pelo menos dez países) aprovaram o E-ELT. A votação aconteceu durante reunião realizada na cidade de Garching, na Alemanha.

Áustria, República Checa, Alemanha, Holanda, Suécia e Suíça votaram a favor do início do programa. Quatro outros países votaram a favor de forma provisória: Bélgica, Finlândia, Itália e Reino Unido. A confirmação do voto desses quatro países depende da confirmação de seus representantes oficiais, que não estiveram na reunião. Os quatro Estados-membros restantes, entre eles o Brasil, estão trabalhando para aderir ao programa em breve.

Leia também:

Brasil empaca construção do maior telescópio do mundo, diz diretor de observatório europeu

O projeto, avaliado em 1,35 bilhão de dólares (cerca de 2,7 bilhões de reais), vai permitir a construção de um telescópio com um gigantesco espelho de 39,3 metros, muito acima do tamanho dos maiores telescópios óticos atuais. O E-ELT será construído em Cerro Armazones, próximo ao do Observatório Paranal do ESO, onde a grande altitude e a extrema aridez permitem uma excelente visibilidade do céu.

Infográfico: Os maiores observatórios terrestres do mundo

"Este é um resultado excelente e um grande dia para a ESO. Podemos agora avançar na programação com este grande projeto", disse Tim de Zeeuw, diretor do Observatório Europeu do Sul (ESO).

(Com Agência France-Presse)

TAGs:
Astronomia
Espaço
Telescópio