tarja-rio+20

Preparativos

Começa em Nova York mais uma rodada de negociações para a Rio+20

Secretário-geral da conferência diz que está otimista. Já são 135 as autoridades inscritas para discursar

O secretário-geral da ONU para a conferência Rio + 20, Sha Zukang

O secretário-geral da ONU para a Rio + 20, Sha Zukang: o maior desafio começa a ser enfrentado depois da conferência (Divulgação ONU)

Começou nesta segunda-feira, em Nova York, mais uma rodada de negociações sobre o documento final da conferência Rio+20, que acontece em junho, no Rio de Janeiro. Essa etapa da negociação termina em 4 de maio. Nela, os representantes dos países vão considerar uma série de medidas para promover o desenvolvimento sustentável, que incluem a definição de novas metas e indicadores, formas de financiamento inovador e ações que possam reduzir os atuais níveis insustentáveis de consumo e produção. Esta rodada oferece aos governos outra chance de rever a versão mais recente do documento final para a Rio+20 e ainda aprimorar o texto antes de as negociações seguirem para o Rio de Janeiro, em junho.

“Existe um delicado equilíbrio que precisa ser alcançado nas negociações que considere as necessidades e interesses de todas as pessoas”, afirmou o secretário-geral da Rio+20, Sha Zukang. “Estamos chegando lá. Estou muito otimista de que as negociações e a Rio+20 serão um sucesso. Por um futuro melhor para todos nós e nossos filhos”.

As negociações estratégicas sobre o documento final da Rio+20, estão sendo formuladas para e a partir da “Minuta Zero” de 19 páginas, elaborado em janeiro e condensado a partir de 6.000 páginas de sugestões de governos, sociedade civil, academia. Em março, os governos fizeram um grande número de alterações no documento, que ficou com mais de 200 páginas, onde estão identificadas 26 áreas estratéficas de ação, entre elas água, energia, alimentos, empregos, cidades, oceanos, preparação para desastres, erradicação da pobreza, turismo, transporte, mudanças climáticas, consumo e produção sustentáveis, terras, produtos químicos e florestas. Também estão sendo consideradas e negociadas as metas de desenvolvimento sustentável, o fortalecimento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), e a implementação de novas formas para medir o desenvolvimento dos países além do crescimento econômico e do PIB, levando em consideração o bem-estar geral da população e a proteção do meio ambiente.

Além das negociações, haverá diversos eventos paralelos centrados em questões globais, desafios e soluções que estarão sob consideração na Rio+20, incluindo a falta de acesso a energia e água potável, oceanos esgotados, insegurança alimentar, ampliação das desigualdades e a rápida expansão das cidades. Os próximos passos para a finalização do documento final da Rio+20 serão dados durante a rodada final de negociações, no Rio de Janeiro, de13 a 15 de junho, antes da Conferência oficial que acontece entre 20 e 22 de junho.

Até o momento, mais de 135 presidentes e chefes de Estado, vice-Presidentes, chefes de governo e vice primeiros-ministros estão inscritos na lista de oradores para a Rio+20.

info_veja

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados