Tarja Familia Real Britanica

Grã-Bretanha

Nasce o primeiro filho de Kate Middleton e príncipe William

Bebê nasceu no mesmo hospital em que Lady Diana deu à luz William e Harry

  • Primeira imagem oficial do príncipe William e Kate Middleton com o filho, George

    Divulgação/Kensington Palace

  • Primeira imagem oficial do príncipe William e Kate Middleton com o filho, George

    Divulgação/Kensington Palace

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    AP

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Peter Macdiarmid/Getty Images

  • Príncipe William e Catherine, duquesa de Cambridge, mostra seu filho recém-nascido para a imprensa, do lado de fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Ben Stansall/AFP

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Carl Court/AFP

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Peter Macdiarmid/Getty Images

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Suzanne Plunkett/Reuters

  • O casal posa para os fotógrafos antes de deixar o hospital

    Leon Neal/AFP

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Oli Scarff/Getty Images

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Dave J Hogan/Getty Images

  • Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge mostra seu filho recém-nascido para a mídia do mundo, do lado de fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Suzanne Plunkett/Reuters

  • Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge mostra seu filho recém-nascido para a mídia do mundo, do lado de fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Leon Neal/AFP

  • Filho recém-nascido do Príncipe William e Catherine, Duquesa de Cambridge é visto em um assento de carro fora do Hospital de Santa Maria, em Londres

    Cathal McNaughton/Reuters

  • William pega o filho no colo em frente ao hospital St. Mary's

    Reprodução

  • Kate e William mostram o bebê real à imprensa

    Reprodução

  • Bebê real aparece no colo dos pais

    Reprodução

  • Kate e William apresentam o bebê real

    Reprodução

  • Príncipe Charles visita bebê de Kate e William

    Carl Court/AFP

  • Príncipe Charles visita bebê de Kate e William

    Ben Stansall/AFP

  • Michael e Carole Middleton chegam ao Hospital de Santa Maria, no dia seguinte à sua filha, Catherine, Duquesa de Cambridge, dar à luz um menino, em Londres

    Stefan Wermuth/Reuters

  • Michael e Carole Middleton chegam ao Hospital de Santa Maria, no dia seguinte à sua filha, Catherine, Duquesa de Cambridge, dar à luz um menino, em Londres

    Andrew Winning/Reuters

  • Anúncio oficial do nascimento do filho do duque e da duquesa de Cambridge é afixado à porta do Palácio de Buckingham, em Londres

    Neil Hall/Reuters

  • Anúncio oficial do nascimento do filho do duque e da duquesa de Cambridge é afixado à porta do Palácio de Buckingham, em Londres

    APTN/AP

  • Homem em frente do Hospital de Santa Maria, em Londres, onde a duquesa de Cambridge deu à luz ao futuro herdeiro do trono britânico e onde William nasceu

    Andrew Winning/Reuters

  • Plebeia, Kate Middleton agora é mãe do terceiro nome na sucessão do trono britânico

    Toby Melville/AFP

  • Hospital de Santa Maria, em Londres, onde a duquesa de Cambridge deu à luz ao futuro herdeiro do trono britânico e onde William nasceu

    Olivia Harris/Reuters

  • Príncipe William, e a Duquesa de Cambridge chegam para a celebração do 60º aniversário da coroação da rainha Elizabeth II na Abadia de Westminster, em 4 de junho

    Dan Kitwodd/Getty Images

  • Plebeia, Kate Middleton agora é mãe do terceiro nome na sucessão do trono britânico. O segundo na linha de sucessão é seu marido, o príncipe William

    Dan Kitwood/Getty Images

  • Kate Middleton ao lado dos príncipes Harry e William

    Chris Jackson/Getty Images

  • Plebeia, Kate Middleton agora é mãe do terceiro nome na sucessão do trono britânico. O segundo na linha de sucessão é seu marido, o príncipe William

    Ben Stansall/AFP

  • Plebeia, Kate Middleton agora é mãe do terceiro nome na sucessão do trono britânico. O segundo na linha de sucessão é seu marido, o príncipe William

    Chris Jackson/AFP

  • Kate Middleton não deixou de ser fashion, mesmo grávida

    John Stillwell/AFP

  • Kate Middleton não deixou de ser fashion, mesmo grávida

    Saeed Khan/AFP

  • Kate Middleton na reta final da gravidez do primeiro filho com o príncipe William

    Nigel Roddis/AFP

  • Kate Middleton em primeira aparição pública após anúncio de gravidez

    Reuters

  • Detalhe da barriguinha de Kate Middleton em primeira aparição pública após anúncio de gravidez

    Reuters

Foto 0 / 37

Ampliar Fotos

Pouco mais de dois anos após o casamento com o príncipe William, Kate Middleton deu à luz o primeiro filho do casal nesta segunda-feira, às 16h24 (horário local, 12h24 no horário de Brasília). Ao confirmar a notícia, o Palácio de Buckingham encerrou também o mistério em torno do sexo do bebê, mantido em segredo durante toda a gravidez. O nome da criança, porém, só será revelado nos próximos dias, conforme protocolo da família real britânica. Especula-se que William e Kate optem por um nome bastante tradicional – e que remeta a outros personagens históricos da realeza. A forma de tratamento, no entanto, já está definida. O menino, que nasceu com 3,7 quilos, será tratado como "Sua Alteza Real Príncipe (nome) de Cambridge". Segundo documento distribuído pelo Palácio de Kensington, mãe e bebê passam bem. William ligou pessoalmente para a rainha Elizabeth II e também para os pais de Kate, que passa esta noite no hospital. O secretário pessoal do príncipe William, Ed Perkins, deixou o hospital com o ofício sobre o nascimento, que foi afixado em um cavalete de madeira diante do palácio de Buckingham.

Leia também:
Bebês nascidos no dia em que Kate der à luz ganharão moeda comemorativa
Segurança da família real diz que bebê de Kate corre risco de sequestro
Às vésperas de dar à luz, o desafio fashion de Kate Middleton

O hospital escolhido por Kate para o parto, o St. Mary's, em Paddington, no centro de Londres, é o mesmo em que a princesa Diana, morta em 1997, deu à luz os príncipes William e Harry. Desde o dia 2 de julho pelo menos sessenta fotógrafos estão acampados em frente ao local na tentativa de registrar a primeira imagem de William e Kate com a criança.

Como seu pai, o príncipe Charles, fez no dia de seu nascimento, em 1982, William assistiu ao parto, que durou mais de 10 horas. Até o nascimento de William, há 31 anos, os pais da realeza costumavam ficar do lado de fora da sala de parto.

Em março, um ato falho de Kate chegou a ser considerado uma pista de que a duquesa esperava uma menina. Presenteada por uma admiradora com um urso de pelúcia branco, Kate teria respondido: "Obrigada, vou levar para minha fi...". Imediatamente, ela se corrigiu: "Para o meu bebê". 

Efeito bebê – Analistas estimam que o frisson em torno do nascimento do bebê real possa injetar na economia inglesa até 240 milhões de libras (380 milhões de dólares), derivados da venda de produtos licenciados, do aumento no fluxo de turistas e do bookmakers, mercado de apostas, que movimenta milhões na Inglaterra com palpites sobre o nome do bebê, a cor dos seus cabelos e até a idade em que ele vai ser fotografado pela primeira vez dentro de um clube noturno. Em entrevista à agência de notícias France-Presse, o especialista Gary Burton revelou que os palpites já ultrapassaram o montante de 750 000 libras (equivalente a 2,5 milhões de reais) na empresa de apostas Coral, a qual dirige.

Sobre a cabecinha coroada do bebê de William e Kate repousa a responsabilidade da manutenção de uma instituição milenar, a monarquia britânica. Segundo um estudo divulgado em junho do ano passado pela consultoria britânica Brand Finance - especializada em avaliação e gestão de marcas -, o valor comercial da realeza britânica já supera 44,5 bilhões de libras (mais de 139 bilhões de reais). A pesquisa sugere que, se fosse colocada à venda como qualquer outro negócio, a monarquia valeria mais do que as redes de supermercado locais Tesco (33 bilhões de libras) e Marks & Spencer (7,4 bilhões de libras) juntas, por exemplo. O bebê de William torna-se o terceiro na linha de sucessão ao trono, atrás do avô e do pai. Os herdeiros são a forma de perpetuação da monarquia. Logo, ao presentear a rainha Elizabeth II com um bisneto, William e Kate cumprem o papel que se esperava deles: contribuem para garantir a longevidade dos Windsor no trono inglês.

William é hoje uma das mais populares figuras da família real. Ele herdou da mãe, a princesa Diana, a beleza, a simpatia e a naturalidade no trato com os plebeus. Cumpre à risca todos os compromissos oficiais e está sempre sorrindo em público. A escolha de Kate, uma plebeia, para caminhar ao seu lado na empreitada garantir a popularidade da monarquia inglesa junto aos súditos tem se mostrado cada dia mais acertada.

Ao longo dos oito anos de namoro que antecederam o casamento, ocorrido em abril de 2011, Kate foi submetida a vários testes. No escaneamento feito pela rainha das qualidades da duquesa, as que mais contaram foram a discrição e a compostura. Desde que passou a integrar a família real, Kate segue à risca seu papel – inclusive o de garantir à rainha um bisneto. O charme, o carisma e, acima de tudo, a vocação para servir de exemplo reservam ao casal um lugar cativo em meio aos súditos. Até no teste da fotografia em topless o casal passou. A crise provocada pela divulgação de fotos da duquesa em momentos íntimos com o marido durante uma viagem à França, em 2012, foi enfrentada com profissionalismo e disciplina. Kate mostrou que tem autocontrole para enfrentar situações de emergência.

O look das mamães reais

1 de 8

Beatriz Guilhermina Armgard

A rainha da Holanda, Beatriz, seguiu o protocolo da realeza e se vestiu formalmente para apresentar o primogênito Guilherme ao mundo, em 1967. O vestido de corte reto foi adornado com um colar de pérolas e, nos cabelos, uma casquete de penas. 

Fora do palácio – Ao contrário de Diana, filha de aristocratas, Kate é a primeira plebeia de verdade a entrar para a realeza. Foi na família da mulher que William finalmente encontrou um ambiente doméstico estruturado: os pais de Kate, Carole e Michael, não moram em palácios, não se traem publicamente e não têm mordomos como maiores confidentes. Ou seja, um bebê da realeza inglesa pela primeira vez vai ser criado também por uma família "comum" – os novos papais, aliás, passarão os primeiros dias após a chegada do bebê na casa da família da duquesa.

Tragicamente órfão de mãe aos 15 anos, William chegou a experimentar um modelo de criação menos formal. Em vez de delegar a educação e os cuidados com os filhos aos empregados, como era praxe nos domínios de Buckingham, Diana fazia questão de levá-los à escola e cumprir trajetos a pé com os dois pelas ruas de Londres, apesar do constante assédio dos paparazzi. Ela e Charles também fizeram muitas viagens de férias com os filhos, algo que raramente acontecia com os antepassados da rainha Elizabeth II, deixados na companhia de babás enquanto os pais se ausentavam. A exemplo do pai, William e Harry recusaram a tradição de receber educação circunscrita aos limites do palácio. William formou-se na Universidade de St. Andrews, na Escócia, onde conheceu Kate. Espera-se que o filho do casal siga pelo mesmo caminho.

Instituição milenar - Um dos motivos que explica a longevidade da monarquia britânica é ter-se afastado das decisões políticas. Essa separação começou a ser moldada no século XIV, quando surgiram as duas Câmaras parlamentares, a dos comuns e a dos lordes. Mas o rei manteve a supremacia até 1689. Naquele ano, durante uma grave crise de sucessão, uma lei definiu o Parlamento como autoridade máxima. O poder político foi gradativamente transferido para as mãos do povo. Atualmente, o monarca chefia o estado e (sempre) aprova a indicação do primeiro-ministro feita pela Câmara dos Comuns. Desde o fim do século XIX entende-se que o monarca tem três direitos: o direito de ser consultado, o direito de aconselhar e o direito de advertir.

Há 61 anos no trono, Elizabeth II é alvo da branda, porém crescente, pressão da opinião pública para que abdique do trono devido à idade avançada. Em pesquisa realizada pelo jornal Sunday Times em maio, 53% dos entrevistados responderam sim ao serem perguntados se a rainha deveria permanecer no trono até o fim de sua vida. A porcentagem representa a maioria, porém, é menor do que a registrada no mês de março, quando 64% das pessoas disseram pensar dessa forma.

Neste ano, dois monarcas europeus abdicaram: o rei da Bélgica, Alberto II, e a rainha Beatrix na Holanda. Pela linha sucessória na Inglaterra, o príncipe Charles é o próximo a subir ao trono. Há algum tempo, ele já vem representando a mãe em compromissos de peso, como na reunião de cúpula da Commonwealth, a ser realizada em Colombo, no Sri Lanka, no mês de novembro. Será a primeira vez que a rainha vai se ausentar da reunião desde 1971. Segundo fontes ouvidas pela agência de notícias France-Presse, isso é indício de que o Palácio de Buckingham quer poupar Elizabeth de viagens ao exterior. A última viagem da rainha para fora da Inglaterra, para Austrália e Nova Zelândia, ocorreu em novembro de 2011. Em março passado, ela precisou cancelar uma viagem a Roma devido a uma hospitalização de 24 horas, a primeira em mais de dez anos.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados