Moda

Pedro Lourenço é aplaudido na Semana da Moda de Paris

Estilista foi chamado por alguns editores de moda de 'gênio' e 'jovem prodígio'

Final do desfile de Pedro Lourenço na semana de moda de Paris, na França

Final do desfile de Pedro Lourenço na semana de moda de Paris, na França ( François Guillot/AFP/VEJA)

O brasileiro Pedro Lourenço, 21, o mais jovem estilista da Semana da Moda de Paris, apresento, nesta segunda uma coleção audaciosa, em que jogou com transparências e misturou materiais como couro, plástico e seda. A passarela para o próximo outono e inverno de Lourenço, a quem alguns editores de moda chamaram de "gênio" e "jovem prodígio", ofereceu saias com cortes geométricos ajustadas no corpo, impecavelmente construídas e apresentando grandes listras de couro, assim como vestidos em musselina, impressos com figuras geométricas.

"Eu me inspirei no campo e numa cidade apocalípticos", explicou o estilista em meio aos aplausos, depois do desfile de prêt-a-porter de luxo, onde destacou a arquitetura das criações, apesar da leveza dos vestidos. Estavam na sala algumas das mais influentes críticas de moda, como Suzy Menkes, do International Herald Tribune, e editoras das revistas de moda brasileiras, que expressaram admiração com a coleção apresentada.

Pedro Lourenço é filho dos estilistas Glória Coelho (da marca Carlota Joakina) e Reinaldo Lourenço e participa desde pequeno dos ateliês de produção e das fábricas de roupas. Aos 15 anos, apresentou seus próprios modelos, na São Paulo Fashion Week, mudando-se para a França em 2006, depois de vários desfiles bem-sucedidos, iniciando um curso de História da Arte. Em 2010/ 2011, começou a participar do calendário da Moda em Paris, desfilando no line-up oficial da semana da moda francesa para a coleção inverno/verão, recebendo elogios de Anna Wintour, da Vogue americana, e Carine Roitfeld, da Vogue francesa.

Larry Busacca/Getty Images

Pedro Lourenço durante conferência em 2011, em São Paulo

Pedro Lourenço durante conferência em 2011, em São Paulo

Nesta sua última coleção, acompanhadas de botas altas, pretas e vermelhas, as saias que aderem ao corpo e as jaquetas de pele apresentam incrustações de plástico, e grandes cintos de couro para serem usados abaixo da cintura, acompanhando pantalonas e saias. "Os materiais impressos foram elaborados em colaboração com o artista Kon Trubkovitch", explicou o estilista.

A Semana de Moda de Paris, que começou na terça-feira da semana passada, termina nesta quarta, depois de 90 desfiles, de casas como Dior, Balenciaga e Lanvin. Lourenço é o único da América Latina a se apresentar nesta ediçãomas há um outro grande estilista brasileiro já estabelecido no mundo da alta-costura: Gustavo Lins, há cinco anos nesse grupo exclusivo.

No sétimo dia das passarelas parisienses, foi destaque também o desfile da britânica Stella McCartney, que apresentou uma coleção esportiva e sofisticada inspirada nos Jogos Olímpicos de junho, em Londres. Minivestidos inspirados no tênis, abrigos azul-noite, camisas: a paleta de cores usada por Stella McCartney - branco, azul e preto- é a da equipe Olímpica de seu país.

Entre os desfiles mais comentados desta segunda está, ainda, o de Ricardo Tisci (amigo da transexual brasileira Lea T) para Givenchi, com destaque para couro e a cor preta azeviche, mas mostrando, também, tons alaranjados e castanhos. As passarelas parisienses recebem nesta terça Chanel e Paco Rabanne, e, na quarta, Louis Vuitton.

(Com agência France-Presse)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados