Feriado

Sete de Setembro, um dia de protesto contra a corrupção

Diante do silêncio de entidades aparelhadas pelo PT, manifestantes apartidários irão às ruas em 35 cidades para mostrar insatisfação com a política nacional

Gabriel Castro
  • Militares se preparam para o desfile de 7 de setembro na Praça dos Três Poderes, em Brasília

    Marcello Casal Jr/Agência Brasil

  • Militar se prepara para o desfile de 7 de setembro na avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro

    Bruna Prado/Folhapress

  • Bandeira do Brasil hasteada em São Paulo

    Folhapress

  • Militares se preparam para o desfile de 7 de setembro na avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro

    Bruna Prado/Folhapress

  • Presidente Dilma Rousseff abre o desfile cívico-militar de 7 de setembro, desfilando com no Rolls Royce na Esplanada dos Ministérios, em Brasília

    Marcello Casal Jr/Agência Brasil

  • A presidente Dilma Rousseff participa do desfile militar de Sete de Setembro em Brasília

    Roberto Stuckert Filho/PR

  • O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, participa do desfile de 7 de Setembro, em Recife

    Bernardo Soares/JC Imagem/Folhapress

  • "Caras pintadas contra a corrupção" protestam na avenida Paulista, durante as comemorações de 7 de setembro em São Paulo

    Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress

  • "Caras pintadas contra a corrupção" protestam na avenida Paulista, durante as comemorações de 7 de setembro em São Paulo

    Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress

  • "Caras pintadas contra a corrupção" protestam na avenida Paulista, durante as comemorações de 7 de setembro em São Paulo

    Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress

  • "Caras pintadas contra a corrupção" protestam na avenida Paulista, durante as comemorações de 7 de setembro em São Paulo

    Thales Stadler/ABCDigipress/Folhapress

  • "Caras pintadas contra a corrupção" protestam na avenida Paulista, durante as comemorações de 7 de setembro em São Paulo

    Thales Stadler/ABCDigipress/Folhapress

  • Soldados do exército durante a revista do general Ademas da Costa Machado Filho, durante o desfile de 7 de setembro, em São Paulo

    Maurício Augusto Rummens/Fotoarena

  • Canil do exército acompanha o desfile de 7 de setembro, em São Paulo

    Maurício Augusto Rummens/Fotoarena

  • Guarda Civil Metropolitana durante o desfile de 7 de setembro, em São Paulo

    Maurício Augusto Rummens/Fotoarena

  • Militares durante o desfile de 7 de setembro, em São Paulo

    Maurício Augusto Rummens/Fotoarena

  • Ex-combatente das forças armadas brasileiras durante o desfile de 7 de setembro na avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro

    Bia Alves/Fotoarena

  • Motociclistas dos Fuzileiros Navais durante o desfile de 7 de setembro na avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro

    Bia Alves/Fotoarena

  • Manifestante acompanha o desfile de 7 de setembro em Brasília

    Fernando Bizerra Jr/EFE

  • Manifestante acompanha o desfile de 7 de setembro em Brasília

    Fernando Bizerra Jr/EFE

  • Em Brasília, manifestantes no protesto contra a corrupção lavam letreiros na Esplanada dos Ministérios

    Ueslei Marcelino/Reuters

  • Manifestante, com a bandeira do Brasil pintada no rosto, durante a "Marcha Contra a Corrupção", em Brasília

    Ueslei Marcelino/ Reuters

  • Manifestante segura a bandeira do Brasil durante "Marcha Contra a Corrupção", em Brasília

    Ueslei Marcelino/Reuters

  • Em Brasília, manifestante usa máscara com a imagem de José Dirceu durante protesto contra a corrupção

    Ueslei Marcelino/Reuters

  • Em Brasília, manifestantes no protesto contra a corrupção mostram a capa de VEJA com José Dirceu

    Ueslei Marcelino/Reuters

  • Em Brasília, manifestantes no protesto contra a corrupção mostram a capa de VEJA com José Dirceu

    Marcelo Camargo/Folhapress

Foto 0 / 26

Ampliar Fotos

O primeiro desfile de Sete de Setembro de Dilma Rousseff na Presidência da República será marcado por protestos contra a corrupção. Em Brasília e em pelo menos outras 34 cidades de 17 estados (veja no mapa abaixo), o dia patriótico será de manifestações apartidárias para demonstrar insatisfação com o comportamento dos governantes.

Diante do silêncio de entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a União Nacional dos Estudantes (UNE), ambas aparelhadas pelo PT e seus aliados, a manifestação deste feriado surgiu de forma espontânea, com o auxílio da internet. Na capital federal, a marcha anticorrupção terá início às 10 horas no Eixo Monumental, a cerca de 300 metros do palanque presidencial. No site de relacionamentos Facebook, mais de 26.000 pessoas confirmaram presença no protesto. 

Por conta do protesto, a Polícia Militar precisou reforçar a segurança na Esplanada. Mesmo com reforço nas grades que separam o gramado e as arquibancadas onde o público poderá ficar, no Palácio do Planalto há uma preocupação com a proporção que a marcha não oficial poderá tomar. Os manifestantes prometem levar cornetas, tambores, apitos e tudo que possa fazer barulho, para chamar a atenção das autoridades.

A corrupção tem ocupado a agenda política desde o início do governo Dilma Rousseff. Três ministros já caíram por desvios éticos. No Congresso, a situação não é melhor: mesmo flagrada recebendo dinheiro sujo, a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF) escapou da cassação graças à conivência dos colegas.

Parada -  São esperadas 35.000 pessoas na Esplanada dos Ministérios para o desfile oficial da Independência. A festa terá início às 9 horas. O palanque das autoridades terá espaço para mil pessoas. O ministro da Defesa, Celso Amorim, foi um dos primeiros a chegar ao espaço nessa manhã. Nenhum chefe de estado estrangeiro acompanhará a celebração.

O tema escolhido pelo Planalto para esta edição da festa é "Construir um Brasil que está em nossas mãos". O material divulgado pela Presidência explica que o objetivo é "Fazer do Sete de Setembro uma festa cidadã, que o povo brasileiro celebre as realizações e potencialidades do seu país, além de se reconhecer como protagonista desse processo".

A festa custou cerca de 900 000 reais. Como nos anos anteriores, o desfile terá uma hora e meia de duração.  A parada incluirá a apresentação de mais de vinte entidades, civis e militares. Ao final, a esquadrilha da fumaça fará as tradicionais acrobacias para encerrar a festa.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados