Mensalão

PSDB estuda pedir ao Ministério Público apuração sobre ação Lula

VEJA desta semana mostra que o publicitário Marcos Valério começa a revelar segredos - entre eles, o fato de que o ex-presidente sabia do esquema

O CHEFE:  Segredo guardados por Valério põem o ex-presidente Lula no centro do esquema do mensalão

O CHEFE:  Segredo guardados por Valério põem o ex-presidente Lula no centro do esquema do mensalão  (DIOGO MOREIRA/FOLHAPRESS)

O PSDB estuda pedir ao Ministério Público que investigue a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no mensalão. Reportagem de capa de VEJA desta semana mostra que o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza começa a revelar segredos sobre o maior esquema de corrupção da história do país – entre eles, o fato de que o ex-presidente sabia de tudo.

Na oposição, há a expectativa de que novas revelações e detalhes do esquema venham à tona por outros réus que esperavam proteção, mas que estão sendo condenados no julgamento do processo, em curso no Supremo Tribunal Federal (STF). "A perspectiva de prisão vai soltar a língua de muita gente", afirmou o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR). "Isso é explosivo. É a primeira vez que as suspeitas se confirmam pelo depoimento da figura central, que é Marcos Valério", afirmou o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN). 

Na avaliação do líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), ninguém monta um esquema de arrecadação como o do mensalão sem uma forte garantia. "Em um esquema criado no coração do governo é evidente que o presidente sabia e avalizava. Nós sabíamos que José Dirceu (ministro da Casa Civil) operava e que Delúbio (ex-tesoureiro Delúbio Soares) distribuía o dinheiro, com a orientação do presidente", disse. "A garantia era o presidente. Marcos Valério não ia entrar nessa sem essa garantia", completou.

PT reage - O líder do PT na Câmara, deputado Jilmar Tatto (SP), tento desqualificar o publicitário. Tatto afirmou que Marcos Valério teve várias oportunidades - quando a denúncia foi feita ou quando prestou esclarecimentos ao Ministério Público - para contar o que sabia. "Se ele não o fez antes, é porque agora está mentindo", disse Tatto. "É uma fala de um réu, de uma pessoa que está na iminência de ir para a cadeia. A credibilidade não existe. É a fala de quem está desesperado e tenta envolver outras pessoas de bem", completou Tatto. O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse que as denúncias demonstram apenas que Marcos Valério está desequilibrado psicologicamente.

(Com Agência Estado)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados