Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  4. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  5. Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

    Brasil

    Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

  6. Temer tenta cancelar recesso e acelerar impeachment

    Brasil

    Temer tenta cancelar recesso e acelerar impeachment

  7. Leicester City: um pequeno grande time

    Esporte

    Leicester City: um pequeno grande time

  8. Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

    Brasil

    Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

Policial de UPP atira em morador

O crime aconteceu no centro do Rio, em uma favela próxima do Morro da Providência

- Atualizado em

O soldado Alan Ribeiro Abreu da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Providência, na zona portuária do Rio, atirou contra um morador, de 22 anos. O motivo, segundo a polícia, foi ciúmes. O policial, ao ver o morador Marco Aurélio de Paula Santos conversando com sua ex-namorada em uma favela vizinha, chamada Morro do Pinto, efetuou três disparos na sexta-feira. Na delegacia, o PM deu outra versão. Ele afirmou ao delegado da 4ª DP (Praça da República) ter sido vitima de um assalto, e que os tiros foram uma reação ao crime.

Testemunhas e denúncias anônimas informaram à polícia que a razão dos tiros foi ciúmes. Por isso, o PM foi preso, e ficará detido no ao Batalhão Especial Prisional. Ele responderá por tentativa de homicídio.

O rapaz de 22 anos teve ferimentos nos braços, nas mãos e na boca. Ele foi levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro, onde está internado no CTI.

TAGs:
Crime
Polícia Militar
Unidade de Polícia Pacificadora - UPP
Rio de Janeiro