Mais Lidas

  1. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  4. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  5. Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança desaparece

    Mundo

    Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança...

  6. Após revelação de conversa em que critica a Lava Jato, ministro da Transparência pede demissão

    Brasil

    Após revelação de conversa em que critica a Lava Jato, ministro da...

  7. Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

    Brasil

    Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

  8. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

Policial de UPP atira em morador

O crime aconteceu no centro do Rio, em uma favela próxima do Morro da Providência

- Atualizado em

O soldado Alan Ribeiro Abreu da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Providência, na zona portuária do Rio, atirou contra um morador, de 22 anos. O motivo, segundo a polícia, foi ciúmes. O policial, ao ver o morador Marco Aurélio de Paula Santos conversando com sua ex-namorada em uma favela vizinha, chamada Morro do Pinto, efetuou três disparos na sexta-feira. Na delegacia, o PM deu outra versão. Ele afirmou ao delegado da 4ª DP (Praça da República) ter sido vitima de um assalto, e que os tiros foram uma reação ao crime.

Testemunhas e denúncias anônimas informaram à polícia que a razão dos tiros foi ciúmes. Por isso, o PM foi preso, e ficará detido no ao Batalhão Especial Prisional. Ele responderá por tentativa de homicídio.

O rapaz de 22 anos teve ferimentos nos braços, nas mãos e na boca. Ele foi levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro, onde está internado no CTI.

TAGs:
Crime
Polícia Militar
Unidade de Polícia Pacificadora - UPP
Rio de Janeiro