Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  3. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  4. Marcola quer fazer botox

    Brasil

    Marcola quer fazer botox

  5. Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

    Esporte

    Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

  6. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  7. Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de São Paulo

    Brasil

    Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de...

  8. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

Polícia do Rio prepara ocupação da 'Faixa de Gaza'

Favelas de Manguinhos, Jacarezinho, Nelson Mandela e Varginha serão tomadas nas primeiras horas de domingo. Objetivo é criar mais uma UPP

- Atualizado em

Operação policial na favela Jacarezinho, no Rio de Janeiro. Veja galeria de imagens sobre a violência no Rio de Janeiro
Operação policial na favela Jacarezinho, no Rio de Janeiro(Sérgio Moraes/Reuters/VEJA)

As polícias Militar e Civil do Rio de Janeiro preparam, para as primeiras horas do próximo domingo, mais uma ocupação de favelas na cidade. O alvo, desta vez, é a chamada "Faixa de Gaza" carioca, uma região de quatro grandes favelas na zona norte que concentra pontos de venda de crack, serve de esconderijo para traficantes e quadrilhas de roubo de carro e assaltos. A ocupação, a exemplo do que aconteceu em outras grandes favelas como Alemão e Rocinha, é o primeiro passo para a criação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Com o avanço para essa área da cidade - as favelas de Manguinhos, Jacarezinho, Varginha e Nelson Mandela -, as grandes quadrilhas de traficantes são empurradas para a periferia do Rio.

O termo "Faixa de Gaza" surgiu em razão dos tiroteios e da truculência dos bandidos daquela área. Atualmente, um dos chefes do crime nessa parte da cidade é o traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, chefe do tráfico da Favela do Mandela. Piloto tem 15 mandados de prisão por tráfico, homicídios e outros crimes. Foi ele quem comandou o resgate de outro bandido, o traficante Diogo de Souza Feitoza, o DG, que fugiu da 25ª DP, no Engenho Novo, no último dia 3 de julho.

Piloto é apontado também como o responsável por 'bondes' de bandidos armados que aterrorizaram a cidade, e o acusado de invadir apartamentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para explorar a venda dos imóveis.

A ocupação, aliás, está diretamente ligada ao PAC. Manguinhos recebeu, na primeira fase do programa, investimento de 565,6 milhões de reais. Desde o início das obras, já foram inaugurados um colégio, um complexo esportivo, um parque aquático, uma UPA 24h, 416 unidades habitacionais, uma biblioteca-parque, um centro de geração de renda, um centro de apoio jurídico, a Casa da Mulher e uma unidade de referência da juventude. O PAC 2 prevê investimentos de mais 100 milhões na região.

Marinha - A Marinha participará da ocupação no domingo. Os militares usarão blindados tipo Clanf, que permitem a passagem do veículo mesmo em caso de os bandidos colocarem obstáculos nas pistas. Nesta quinta, a polícia faz operação em oito favelas da mesma facção com o objetivo de evitar a fuga de bandidos de Manguinhos e do Jacarezinho. Até o início da tarde, 13 pessoas haviam sido presas e quatro menores apreendidos. Foram recolhidas armas, drogas e munição. A operação ocorre nas favelas Jorge Turco, Cajueiro, Juramento, Chapadão, Vila Kennedy, Barreira do Vasco e Complexo do Lins, na capital; e Salgueiro, em São Gonçalo.

(Com Agência Estado)

Leia também:

As UPPs avançam. E crescem os problemas

Entregar a segurança às UPPs é subestimar o poder dos bandidos

Rio descobre a diferença entre pacificação e paz negociada com bandidos

TAGs:
Polícia Militar
Tráfico
Unidade de Polícia Pacificadora - UPP
Rio de Janeiro