Mais Lidas

  1. Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

    Brasil

    Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  4. Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança desaparece

    Mundo

    Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança...

  5. Suspeitos de envolvimento no estupro coletivo de adolescente são considerados foragidos da Justiça

    Brasil

    Suspeitos de envolvimento no estupro coletivo de adolescente são...

  6. Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

    Entretenimento

    Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

  7. Filho de Temer, Michelzinho tem R$ 2 milhões em imóveis em SP

    Brasil

    Filho de Temer, Michelzinho tem R$ 2 milhões em imóveis em SP

  8. Ex-presidente do PSDB de Minas é preso em operação

    Brasil

    Ex-presidente do PSDB de Minas é preso em operação

'Não se faz obra pública sem acerto', diz advogado de lobista

Depoimento de Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de desvios da Petrobras, foi adiado pela PF para sexta-feira

Por: Bela Megale e Daniel Haidar, de Curitiba - Atualizado em

Fernando Baiano chega ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba/PR. O lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, prestará depoimento na Superintendência da Polícia Federal na tarde desta quarta-feira (19)
O lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, chega ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba(Geraldo Bubniak/Folhapress)

O advogado Mário de Oliveira Filho, que defende o lobista Fernando Antônio Falcão Soares, o Fernando Baiano, afirmou nesta quarta-feira que a realização de obras públicas no Brasil está diretamente relacionada a pagamentos de propina. "O empresário, se porventura faz alguma composição ilícita com político para pagar alguma coisa, se ele não fizer isso não tem obra. Pode pegar qualquer empreiteirinha e prefeitura do interior do país. Se não fizer acerto, não coloca um paralelepípedo no chão", disse o advogado, em Curitiba, onde seu cliente está preso. "Os depoimentos mostraram que eles [empresários] não têm como fugir disso [pagamento de propina]. A coisa mais difícil é o vínculo negativo. Duvido que o empresário entre no esquema se não estiver com a corda no pescoço."

A Polícia Federal remarcou para a próxima sexta-feira o depoimento de Fernando Baiano, inicialmente agendado para a tarde de hoje. A oitiva dele é uma das mais aguardadas porque o empresário é apontado como o principal operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.

Fernando Baiano era procurado pela polícia desde a última sexta-feira, mas só se entregou na tarde de terça-feira aos policiais na sede da PF em Curitiba. O advogado disse ter orientado o lobista a permanecer foragido enquanto aguardava o julgamento de recursos para derrubar a ordem de prisão temporária. "Ele mudou de ideia ontem e resolveu se entregar. Insisti para ele esperar o julgamento dos habeas corpus", afirmou Oliveira Filho.

Leia também: Vice-presidente da Camargo Corrêa se cala em depoimento

Justiça autoriza quebra de sigilos de empresários

Uma tabela encontrada em escritório de Youssef aponta Fernando Baiano como destinatário de 1,13 milhão de reais em recursos distribuídos por auxiliares do doleiro. Ele também é mencionado nos depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa como operador do PMDB. O advogado do lobista nega: "Se há um operador ele não se chama Fernando Soares, não adianta colocar o rótulo de operador nele. Mas negócios com a Petrobras ele teve".

TAGs:
Operação Lava Jato
Petrobras