Justiça

Pastor Marcos Pereira é preso por estupro no Rio

Líder evangélico foi detido na Via Dutra no fim da noite. Agentes da DCOD cumpriram dois mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça do Rio. VEJA revelou o caso em 2012

Leslie Leitão, do Rio de Janeiro
  •  O pastor Marcos Pereira, preso por estupro, chega para audiência no Fórum do Rio de Janeiro

    Daniel Ferrentini-Ag. O Dia-01-07-2013

  • Movimento no Fórum de São João de Meriti, onde acontece a audiência de instrução e julgamento do pastor Marcos Pereira

    Daniel Ferrentini-Ag. O Dia-01-07-2013

  • Pastor Marcos Pereira com uniforme da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)

    Divulgação

  • Pastor Marcos Pereira com uniforme da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)

    Divulgação

  • Pastor Marcos Pereira é acusado de estupro

    Gustavo Azeredo/Ag. O Globo

  • O pastor Marcos Pereira durante culto na Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias

    Uanderson Fernandes/Agência O Dia

  • Reprodução do pastor Marcos Pereira da Silva, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, que foi preso acusado de estupro na Rodovia Presidente Dutra, em São João de Meriti, Baixada Fluminense

    Oswaldo Praddo/Agência O Dia/Folhapress

  • O Deputado Marcus Vinicius realizou sessão solene para entrega da Medalha Tiradentes ao Pastor Marcos Pereira, em 2012

    Murilo Rezende/Futurapress

  • Pastor Marcos Pereira durante rebelião no presídio de Bagé, em 2009

  • O pastor Marcos Pereira da Silva durante culto na Assembleia de Deus dos Últimos Dias, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense

    Folhapress

  • O pastor Marcos Pereira da Silva durante culto na Assembleia de Deus dos Últimos Dias, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense

    Folhapress

  • Pastor Marcos Pereira, ao lado do também pastor e deputado Marco Feliciano

    Divulgação

  • Pastor Marcos Pereira com a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB)

  • Pastor Marcos Pereira, com o ex-vereador Netinho e o ex-pagodeiro Waguinho

    Divulgação

Foto 0 / 14

Ampliar Fotos

O pastor evangélico Marcos Pereira, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, foi preso na noite desta terça-feira no Rio de Janeiro. Agentes da Delegacia Especial de Combate às Drogas (DCOD) detiveram o pastor às 22h15 na Rodovia Presidente Dutra. Contra Pereira havia dois mandados de prisão preventiva com base em acusações de estupro - como VEJA revelou em 2012. O pastor, que comanda igrejas no subúrbio do Rio e na Baixada Fluminense, foi levado para a sede da delegacia, no Andaraí, na Zona Norte.

Por meio de interlocutores e advogados, Marcos Pereira fez, pouco depois de ser preso, um chamado: solicitou que seguidores de sua corrente evangélica se dirigissem à sede da delegacia para protestar contra a prisão, que ele considera abusiva.

Contra o pastor, foram abertos recentemente seis investigações, referentes a seis casos de estupro. Os mandados de prisão preventiva que resultaram na detenção desta noite são referentes a dois desses casos. Os juízes que decretaram a prisão foram Richard Fairclough, da 1ª Vara Criminal de São João de Meriti, e Ana Helena Mota Lima, da 2ª Vara Criminal da mesma comarca.

Leia mais: Polícia investiga ligação de pastor com ataques do tráfico

Influente na política e frequentemente visto na companhia de autoridades, Marcos Pereira ganhou notoriedade com seu poder de convencimento sobre criminosos presos, o que rendeu a ele uma imagem de “pacificador”. Marcos Pereira chegou a trabalhar em parceria com o Grupo Cultural AfroReggae, que se dedica a recuperar jovens que tiveram envolvimento com o tráfico.

A parceria acabou a partir de uma troca de acusações entre Pereira e o líder do grupo, José Júnior. Em fevereiro de 2012, Júnior deu uma entrevista ao jornal carioca Extra na qual acusava Pereira de ter ordenado ataques do tráfico em vários pontos do estado em 2006 – no episódio que deixou vinte pessoas mortas e ficou conhecido com “Rio de sangue”.

O pastor sempre negou as acusações e moveu ação contra José Júnior por calúnia. Júnior chamou, à época, o pastor e ex-aliado de “psicopata” e disse ter sido ameaçado por ele.

Leia ainda: Ricardo Setti: Dilma se deixa abraçar por pastor suspeito de crime

Os crimes de estupro que chocaram o Brasil

1 de 5

Maníaco do Parque

Francisco de Assis Pereira, conhecido como o Maníaco do Parque, matou sete mulheres por estrangulamento depois de estuprá-las, em 1998, em São Paulo. Em nove meses cometendo crimes, o Maníaco do Parque se transformou no serial killer de maior fama do Brasil. Muitas vezes ele usou como chamariz a proposta de fotografar ensaios de mulheres para levá-las à mata do Parque do Estado de São Paulo. Quando conseguia, espancava e estuprava a vítima e, em seguida, estrangulava até a morte. Após um interrogatório de três dias, o Maníaco do Parque confessou ter matado dez mulheres.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados