VEJA

Brasil

18 de Abril de 2008

Brasil

ONG desviou R$ 3,4 milhões

Por Guilherme Amorozo

O Instituto Novo Horizonte, uma ONG da periferia de Brasília que diz oferecer cursos a crianças pobres, se associou aos ministérios do Esporte e da Ciência e Tecnologia para desviar, sozinho, 3,4 milhões de reais. Quem acusa é Michael Vieira da Silva, ex-funcionário da ONG, usado como laranja no esquema criminoso.

Em declarações que VEJA publica em sua edição desta semana, Michael revela como o Instituto Novo Horizonte se transformou numa verdadeira mina de ouro para seu dono, Luiz Carlos Coelho de Medeiros. O ex-funcionário contou à revista que atuava como uma espécie de faz-tudo da entidade. Seu grande trabalho foi abrir uma empresa de fachada, a T & Z, para fornecer notas fiscais frias à ONG, que assinou um convênio com o Ministério de Ciência e Tecnologia no valor de 1,8 milhão de reais.

Os recursos saíam dos cofres do Ministério e desapareciam sem deixar vestígios. Com documentos, Michael prova que o destino final do dinheiro era a conta pessoal de Luiz Carlos. A ONG simulava gastar a maior parte da verba que recebia em material didático. Investia, na verdade, apenas 5% do que declarava. A diferença, 95%, caia nos bolsos dos donos e de amigos que participavam do esquema.

Esta, entretanto, é apenas uma das fraudes reveladas por Michael. Leia na reportagem quais são as outras irregularidades em que a ONG está metida. (exclusivo para assinantes).