São Paulo

Nove gerentes são detidos por aumento abusivo de preços

Em um posto que aumentou o valor da gasolina para 4,499 reais as bombas chegaram a ser lacradas. Gerentes foram liberados após assinarem termo

  • Caminhões deixam distribuidora com escolta da PM na quarta-feira. Serviço foi dispensado nesta quinta

    Nelson Antoine / Fotoarena

  • Um dos gerentes foi detido neste posto, localizado na Avenida Alfedo Pujol, em Santana

    Divulgação/Polícia Civil de São Paulo

  • Posto sem combustível em supermercado na Freguesia do Ó, zona norte de São Paulo, nesta quarta- feira

    Rodrigo Coca / Fotoarena

  • Motoristas enfrentam fila para abastecer em posto de combustível localizado na Marginal Tietê, na zona norte da capital paulista

    Marcio Fernandes/AE

  • Protesto de caminhoneiros devido a restrição de circulação na marginal Tietê, provoca escassez de combustível e filas enormes nos postos em São Paulo

    Oslaim Brito/Futupress

  • A paralisação de caminhoneiros autônomos provocou reflexos nos postos de combustíveis da capital paulista

    Rodrigo Coca / Fotoarena

  • Caminhões tanque são vistos parados, em protesto contra a nova restrição de caminhões que não poderão rodar pelas pistas da Marginal do Rio Tietê, entre outras, em certos horários

    Nelson Antoine/Fotoarena

  • Com a nova restrição sobre os caminhões, eles ficam sujeitos a multa de R$ 85,12 e quatro pontos na carteira de habilitação se a desrespeitarem, em São Paulo

    Nelson Antoine/Fotoarena

  • Agentes da Companhia de Engenharia de Trafego (CET) fiscalizam carretas e caminhões que trafegam pela Marginal Tietê, em São Paulo

    Nelson Antoine/Fotoarena

  • A paralisação dos caminhoneiros autônomos já provoca reflexos nos postos de combustíveis, em São Paulo

    Rodrigo Coca/Fotoarena

  • Caminhões tanque são vistos parados, em protesto contra a nova restrição de caminhões que não poderão rodar pelas pistas da Marginal do Rio Tietê, entre outras, em certos horários

    Nelson Antoine/Fotoarena

  • Caminhões tanque são vistos parados, em protesto contra a nova restrição de caminhões que não poderão rodar pelas pistas da Marginal do Rio Tietê, entre outras, em certos horários

    Nelson Antoine/Fotoarena

  • Agente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) fiscaliza lei de restrição a caminhões na Marginal Tietê, em São Paulo

    Werther Santana/AE

Foto 0 / 13

Ampliar Fotos

Mais cinco gerentes de postos de gasolina foram detidos para prestar explicações à polícia na tarde desta quarta-feira por causa de aumentos abusivos no preço dos combustíveis. Aproveitando-se da greve dos caminhoneiros que abastecem os postos, alguns estabelecimentos quase dobraram o valor do litro da gasolina comum. No total, a Divisão de Investigações sobre Infrações contra o Consumidor do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) realizou nove detenções.

Diante das denúncias feitas por consumidores de aumento abusivo nos preços dos combustíveis, a Polícia Civil começou a percorrer os postos de gasolina da capital. Nesta manhã, os agentes detiveram quatro gerentes e, pela tarde, mais cinco foram presos. Um posto da Rua Alfredo Pujol, em Santana, chegou a subir o valor do litro da gasolina de 2,799 reais para 4,499 reais. As bombas do estabelecimento foram lacradas e passarão por perícia.

"Alguns comerciantes têm realizado a remarcação dos preços e obtido ganhos ilícitos em prejuízo do povo, o que caracteriza especulação", explicou o delegado Fernando Schmidt, titular do DPPC. Ele informou que os gerentes foram liberados após assinarem um termo circunstanciado, por se tratar de crime contra a economia popular, considerado de menor potencial ofensivo.  A pena é de seis meses a dois anos de prisão e pagamento de multa.

Confira a locaização dos postos onde foram constatadas irregularidades, segundo a polícia:

- Rua Alfredo Pujol, 945 (gasolina: antes R$ 2,799, hoje R$ 4,499)

- Alameda Barão de Limeira, 668 (gasolina: antes R$ 2,699, hoje R$ 2,999)

- Rua Amaral Gurgel, 387 (gasolina: antes R$ 2,799, hoje R$ 2,899)

- Avenida Itaquera, 1968 (gasolina: antes R$ 2,699, hoje R$ 2,999, álcool: antes R$ 1,599, hoje R$ 1,999)

- Rua Silveira da Nóbrega, 63, Vila Pedroso (gasolina: antes R$ 2,499, hoje R$ 2,999)

- Avenida Senador Teotônio Vilela, 2089, Cidade Dutra (gasolina: antes R$ 2,499, hoje R$ 2,899: álcool: antes R$ 1,799, hoje R$ 1,899)

- Rua Maria Amália Lopes de Azevedo, 171, Horto Florestal (gasolina: antes R$ 2,78, hoje R$ 2,88; álcool: antes R$ 1,88, hoje R$ 1,98)

- Avenida Aricanduva, 9291 (gasolina: antes R$ 3,399 hoje R$ 3,599)

- Av. Interlagos, 3918 (gasolina: antes R$ 2,699, hoje R$ 2,899; álcool: antes R$ 1,699, hoje R$ 1,999)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados