Mais Lidas

  1. Mulher do senador Telmário Mota se entrega à Polícia Federal em Roraima

    Brasil

    Mulher do senador Telmário Mota se entrega à Polícia Federal em...

  2. Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três revelações do autor

    Entretenimento

    Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três...

  3. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  4. Embaixador da Venezuela falta a cerimônia com Temer

    Brasil

    Embaixador da Venezuela falta a cerimônia com Temer

  5. Ana Hickmann surge com a família após atentado: 'Esgotados'

    Entretenimento

    Ana Hickmann surge com a família após atentado: 'Esgotados'

  6. Em gravação, Sarney promete ajuda a Sergio Machado

    Brasil

    Em gravação, Sarney promete ajuda a Sergio Machado

  7. Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

    Economia

    Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

  8. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

Marcha da Maconha termina em confusão no Rio

Passeata a favor da legalização da droga foi dispersada com balas de borracha e gás lacrimogêneo depois que manifestantes protestaram contra bloqueio do carro de som pela PM

- Atualizado em

A Marcha da Maconha saiu, neste sábado, do Arpoador em direção ao Posto 9 da Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro
A Marcha da Maconha saiu, neste sábado, do Arpoador em direção ao Posto 9 da Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro(Cezar Loureiro / Agência O Globo/VEJA)

A Marcha da Maconha ocupou a orla da Zona Sul do Rio de Janeiro, na tarde deste sábado, saindo do Arpoador para o Posto 9 da Praia de Ipanema. De acordo com os organizadores, cerca de 10 mil pessoas participaram da passeata, a primeira do tipo desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou essas manifestações. Segundo a Polícia Militar, no entanto, eram apenas 2 mil pessoas.

A passeata terminou em confusão e correria. Por volta das 19h, balas de borracha foram disparadas contra os manifestantes, que acusam policiais militares. Houve também a explosão de bombas gás lacrimogêneo. O conflito teria começado quando manifestantes reclamaram do bloqueio, imposto pela PM, de um carro de som que participava da passeata pela Avenida Vieira Souto. Os PMs disseram ter sido xingados e agredidos. Uma garrafa de vidro teria sido atirada contra eles.

Além do carro de som, a marcha contou com um bloco de carnaval, máscaras no formato da folha de maconha e muitos cartazes, com frases como "O povo quer maconha". O trânsito ficou prejudicado em algumas vias da região. Na chegada ao Posto 9, uma apresentação de DJs e MCs estendeu o evento.

O STF apreciou a legalidade das marchas da maconha em duas oportunidades. Na primeira, em junho de 2011, os ministros decidiram por unanimidade em favor da realização das passeatas pela descriminalização da droga, contrariando decisões de instâncias inferiores em alguns estados, como são Paulo. Em novembro do mesmo ano, o tribunal reafirmou a permissão às marchas, também por unanimidade, à luz da Lei de Drogas, de 2006.

Também aconteceram marchas da maconha, neste sábado, em Presidente Prudente e São José do Rio Preto, em São Paulo, em União da Vitória, no Paraná, e em Vitória, no Espírito Santo.

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM:

Defensores da legalização 'plantam' maconha na praia de Copacabana

Maconha continua sendo a droga mais consumida na América do Sul

Maconha praticamente dobra o risco de acidentes graves no trânsito

A arte de levantar bandeiras desnecessárias

TAGs:
Rio de Janeiro
Maconha