Mais Lidas

  1. Dilma agiu na liberação de créditos, mas não em pedaladas, aponta perícia

    Brasil

    Dilma agiu na liberação de créditos, mas não em pedaladas, aponta...

  2. 'Game of Thrones': final da 6ª temporada é recheado de mortes e confirma teoria dos fãs

    Entretenimento

    'Game of Thrones': final da 6ª temporada é recheado de mortes e...

  3. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  4. Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes sociais

    Entretenimento

    Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes...

  5. Pilotos de Nascar brigam (de forma bizarra) após batida

    Esporte

    Pilotos de Nascar brigam (de forma bizarra) após batida

  6. Brexit faz Reino Unido perder nota máxima na S&P após meio século

    Economia

    Brexit faz Reino Unido perder nota máxima na S&P após meio século

  7. Silvio Santos dá cantada e agarra 'colega de auditório'

    Entretenimento

    Silvio Santos dá cantada e agarra 'colega de auditório'

  8. Mulher de Eduardo Cunha vira 'a loira do Trust' em paródia do 'Zorra'

    Entretenimento

    Mulher de Eduardo Cunha vira 'a loira do Trust' em paródia do 'Zorra'

Não imite a Dilma: conte a verdade no currículo

Por: Natalia Cuminale - Atualizado em

curriculomentiroso.jpg
(Getty/VEJA)

Pós-graduação, mestrado, doutorado e experiência internacional. Títulos que causam boa impressão ao serem anunciados em um currículo, mas que podem acabar com qualquer credibilidade se não forem verdadeiros. Recentemente, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o neto do presidente do Senado, José Sarney, José Adriano Cordeiro Sarney, foram personagens de situações constrangedoras.

Em seu currículo no site da Casa Civil, Dilma dizia ter feito mestrado e doutorado. Já Amorim, afirmava ter completado doutorado em ciências políticas/relações internacionais pela London School of Economics (LSE). Já o neto de Sarney soltou nota garantindo ter qualificações suficientes para não precisar da influência do avô. Segundo o próprio José Adriano, ele fez pós-graduação em Harvard. As informações, porém, não estavam de acordo com a verdade.

O hábito de exaltar competências em currículos não se restringe ao mundo da política. De acordo com especialistas consultados por VEJA.com, afirmar ter completado um curso inacabado e aumentar o grau de formação estão entre as trapaças mais comuns realizadas por pessoas que buscam um emprego. "Uma coisa é dar destaque para o que de fato você fez, outra é incluir algo que você não fez", diz Marcelo Abrileri, presidente do site Curriculum.com.br.

Segundo Abrileri, na maioria dos casos, a empresa não costuma checar os dados e alguns candidatos se aproveitam dessa atitude para tirar vantagem. O problema começa, é claro, quando a verdade é descoberta. "A consequência é desastrosa. Uma mentira lança dúvida sobre as demais informações acerca daquele profissional", diz.

"O objetivo de quem mente é encantar o entrevistador. Mas, com certeza, ao adotar uma postura não ética, o candidato vai causar uma imagem negativa e pode perder a oportunidade naquela empresa", completa Lizete Araújo, vice-presidente de planejamento da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Nacional). "Currículo é um documento, um registro. Você não pode mentir ali."

Mentiras mais comuns dos currículos

Mentiras mais comuns dos currículos

Trapaças mais utilizadas por quem procura um emprego

Tabela
Tabela
Curso inacabado: o candidato jura ter terminado
Formação: pós, MBA e doutorado são mentiras comuns
Idioma estrangeiro: o candidato diz ser fluente, mas na verdade só fala o básico
  • CV turbinado: supervalorização de experiências anteriores
Experiência internacional
Fontes: Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum.com.br ; Daniella Correa, consultora de RH da Catho Online e Lizete Araújo, vice-presidente de Planejamento da Associação Brasileira de Recursos Humanos

Artimanhas aceitas - Se, por um lado, as mentiras são condenadas, por outro, omitir informações é uma prática aceitável, segundo a consultora de RH da Catho Online Daniela Correa. "Orientamos os candidatos a não inserir no currículo informações que possam causar um pré-conceito, como motivo de demissão do emprego anterior, faculdade trancada e idade", explica. "Isso funciona para evitar a primeira barreira e dá a chance de depois conversar com o recrutador a respeito daqueles temas", acrescenta.

Outra dica é ressaltar participações em projetos de visibilidade e colocar cursos relacionados à área da vaga almejada. "Se a pessoa quer ser secretária, não deve dizer que fez um curso de culinária - mas um treinamento em Word. Se ela quiser ser cozinheira, informa o curso de culinária", exemplifica Abrileri.

Dicas para uma boa apresentação

Dicas para uma boa apresentação

Tabela
Tabela
Objetividade: informe apenas as experiências relevantes para o cargo almejado
Idioma: evite erros gramaticais
Verdade, só a verdade: não invente informações
  • Adequação: não envie o currículo se você não se adequa à vaga
Relevância: ressalte sua participação em projetos importantes
Fontes: Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum.com.br ; Daniella Correa, consultora de RH da Catho Online e Lizete Araújo, vice-presidente de Planejamento da Associação Brasileira de Recursos Humanos
TAGs:
Currículo
Diploma
Emprego