Mais Lidas

  1. Doleiro ligado a Eduardo Cunha é preso em ação da Lava Jato em Brasília

    Brasil

    Doleiro ligado a Eduardo Cunha é preso em ação da Lava Jato em...

  2. Movimentação financeira de 'garçom do Lula' foi 69 vezes superior aos seus rendimentos

    Brasil

    Movimentação financeira de 'garçom do Lula' foi 69 vezes superior...

  3. STF suspende ações de juízes do Paraná contra o jornal 'Gazeta do Povo'

    Brasil

    STF suspende ações de juízes do Paraná contra o jornal 'Gazeta do...

  4. Luiza Brunet diz ter sido espancada pelo ex, Lírio Parisotto

    Entretenimento

    Luiza Brunet diz ter sido espancada pelo ex, Lírio Parisotto

  5. Membros do Estado Islâmico que fugiam de Fallujah são dizimados no Iraque

    Mundo

    Membros do Estado Islâmico que fugiam de Fallujah são dizimados no...

  6. PF descobre laços impróprios entre Toffoli e empreiteiro do petrolão

    Brasil

    PF descobre laços impróprios entre Toffoli e empreiteiro do petrolão

  7. Turista alemão morre ao tentar tirar selfie em Machu Picchu

    Mundo

    Turista alemão morre ao tentar tirar selfie em Machu Picchu

  8. Kroton compra a Estácio e amplia domínio do setor de educação

    Economia

    Kroton compra a Estácio e amplia domínio do setor de educação

Morre menina de 6 anos queimada em ataque a ônibus em São Luís

Ana Clara Sousa morreu na manhã desta segunda-feira. Ela teve 95% do corpo queimado em ataque a ônibus. Polícia prendeu mais seis acusados

- Atualizado em

Ônibus foram incendiados em São Luís no Maranhão na sexta-feira (03), em retaliação à ocupação, do Complexo Penitenciário de Pedrinhas pela polícia militar
Ônibus foram incendiados em São Luís no Maranhão na sexta-feira (03), em retaliação à ocupação, do Complexo Penitenciário de Pedrinhas pela Polícia Militar(Francisco Silva/Jornal Pequeno/EFE/VEJA)

A menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, que teve 95% do corpo queimado em um ataque a ônibus na sexta-feira, em São Luiz,morreu nesta segunda-feira, informou a Secretaria de Saúde do Maranhão. O coletivo em que a menina estava com a mãe e a irmã foi invadido e incendiado por homens armados.

Ana Clara foi uma das vítimas da onda de ataques que começou depois de uma operação realizada pela Tropa de Choque da Polícia Militar no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. A intervenção pretende diminuir as mortes nas unidades prisionais do Estado. Só em 2013, de acordo com o relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entregue no dia 27 de dezembro, sessenta detentos morreram nos presídios do Maranhão.

Nos ataques que ocorrem desde sexta-feira na capital maranhense, quatro ônibus foram incendiados e duas delegacias foram alvo de tiros.

Leia também:

Pedrinhas: a barbárie em um presídio fora de controle

Prisões - Nesta segunda-feira, a Polícia Militar do Estado anunciou a prisão de mais seis acusados de participar dos atentados. Com estas detenções, sobe para dezessete o número de presos acusados de participar das ações criminosas.

Dois dos acusados presos são adolescentes. Os seis detidos durante uma operação estavam escondidos em um matagal e são apontados como os criminosos que organizaram e executaram o único ataque que deixou cinco vítimas, entre elas duas irmãs - além de Ana Clara, outra de 1 ano e cinco meses, e a mãe das duas meninas.

Operação - Neste domingo, a polícia maranhense montou uma grande operação na cidade, envolvendo 400 policias militares e 150 policiais civis, para conter a onde de ataques e atentados.

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Maranhão
Prisão