Mais Lidas

  1. Dilma agiu na liberação de créditos, mas não em pedaladas, aponta perícia

    Brasil

    Dilma agiu na liberação de créditos, mas não em pedaladas, aponta...

  2. Pilotos de Nascar brigam (de forma bizarra) após batida

    Esporte

    Pilotos de Nascar brigam (de forma bizarra) após batida

  3. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  4. Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes sociais

    Entretenimento

    Após foto em velório, Ana Paula Valadão diz que vai deixar redes...

  5. Messi desiste da seleção após novo fracasso da Argentina: 'Acabou para mim'

    Esporte

    Messi desiste da seleção após novo fracasso da Argentina: 'Acabou...

  6. 'Game of Thrones': final da 6ª temporada é recheado de mortes e confirma teoria dos fãs

    Entretenimento

    'Game of Thrones': final da 6ª temporada é recheado de mortes e...

  7. Guarda municipal de SP mata criança de 11 anos durante perseguição

    Brasil

    Guarda municipal de SP mata criança de 11 anos durante perseguição

  8. Mulher de Eduardo Cunha vira 'a loira do Trust' em paródia do 'Zorra'

    Entretenimento

    Mulher de Eduardo Cunha vira 'a loira do Trust' em paródia do 'Zorra'

Marcelo Odebrecht anuncia que pretende colaborar com a Justiça

Preso há oito meses, dono da maior empreiteira do país avisa à Justiça que pretende colaborar com as investigações sobre os repasses de dinheiro no exterior ao marqueteiro do PT

Por: Hugo Marques, de Brasília - Atualizado em

O executivo Marcelo Odebrecht, preso na Operação Lava Jato, durante depoimento à CPI da Petrobras em Curitiba, nesta terça-feira (01)
Marcelo Odebrecht: sinalização do empreiteiro sinalização já provoca tremores no PT(Vagner Rosário/VEJA.com)

A defesa do empresário Marcelo Odebrecht avisou à Polícia Federal no Paraná que vai colaborar com as investigações da Operação Acarajé, mais recente fase da Operação Lava Jato, que levou para a prisão o marqueteiro João Santana e sua mulher. Em depoimento prestado à Justiça ontem, logo depois da prisão do publicitário do PT, o dono da maior empreiteira do país e uma das principais envolvidas no escândalo de corrupção da Petrobras, permaneceu em silêncio.

Os investigadores queriam saber detalhes sobre os repasses de dinheiro feitos pela empreiteira a João Santana. Segundo a Polícia Federal, empresas offshores ligadas à Odebrecht transferiram 3 milhões de dólares para contas secretas que o marqueteiro mantinha no exterior. O dinheiro teria sido usado para pagar despesas das campanhas presidenciais de Lula e Dilma Rousseff.

Em um ofício encaminhado à Polícia Federal, a defesa do empresário pediu ao juiz que autorizasse a transferência de Marcelo Odebrecht da carceragem da Superintendência da PF para o Complexo Médico Penal de Pinhais, onde ele ficou preso por quase um ano, para que ele concluísse com seus advogados as alegações finais que devem ser apresentadas à Justiça. Em petição anexada ao processo, a defesa também pede um prazo para a redação das alegações finais.

Feito isso, o empreiteiro quebraria o silêncio que se impôs e estaria disposto "a colaborar com essa investigação". Não ficou claro qual exatamente seria o nível de colaboração, mas a simples sinalização já provoca tremores no PT e no governo. Pode ser um blefe, uma forma de ganhar algum tempo, mas pode não ser. Marcelo Odebrecht é considerado o guardião de segredos que podem fulminar de vez a biografia do ex-presidente Lula e causar danos irreparáveis à presidente Dilma.

TAGs:
Petrolão
Operação Lava Jato