Esplanada dos Ministérios

Marcelo Crivella será o novo ministro da Pesca

Planalto diz que motivo da troca é contemplar o PRB Esplanada; Luiz Sérgio, que comandava a pasta, retornará à Câmara. Em entrevista ao site de VEJA, Crivella negou que sua nomeação vá servir como moeda de troca

Luciana Marques
Novo ministro: Marcelo Crivella deve tomar posse na sexta

Novo ministro: Marcelo Crivella deve tomar posse na sexta (Sérgio Lima/Folhapress/VEJA)

A presidente Dilma Rousseff decidiu trocar o comando do Ministério da Pesca: o petista Luiz Sérgio (PT-RJ) será substituído pelo senador Marcelo Crivella (PRB-RJ). O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo porta-voz da Presidência, Thomas Traumann. Segundo ele, a decisão foi tomada pela presidente Dilma a fim de incluir o PRB na Esplanada dos Ministérios. O partido aliado ainda não havia sido contemplado com um ministério.  

Com a troca, Luiz Sérgio reassumirá sua cadeira na Câmara dos Deputados. Antes de assumir a Pesca, o petista comandou a Secretaria de Relações Institucionais (SRI) da Presidência da República, responsável por intermediar a relação entre o Planalto e o Congresso Nacional. Mas, em junho do ano passado, foi substituído por Ideli Salvatti (PT-SC). O motivo foi a reclamação dos parlamentares de que Luiz Sérgio não conseguia cumprir o papel de articulador político. Como prêmio de consolação, Dilma o nomeou para o comando da Pesca.

A posse do novo ministro deve ser na sexta-feira, mas ainda não foi confirmada oficialmente.

Crivella disse ao site de VEJA que sua nomeação não vai servir como moeda de troca. "Quero afirmar categoricamente que em nenhum momento nós do partido recebemos qualquer proposta política, de apoio ou de contrapartida para assumir o ministério", afirmou. Celso Russomano, o pré-candidato do PRB de Crivella à prefeitura de São Paulo tem cerca de 20% nas pesquisas de intenção de voto, segundo o último levantamento do Datafollha.

O novo ministro nega que sua chegada ao comando do Ministério da Pesca esteja condicionada, por exemplo, à retirada da candidatura Russomano. "Jamais assumiria esse ministério se fosse condicionado a retirar a candidatura de um companheiro por quem tenho o maior apreço e respeito". Clique aqui e leia a íntegra da entrevista

Evangélicos - Com a nomeção de Crivella, a presidente também contempla a bancada evangélica, que tem dado dor de cabeça ao governo nos últimos meses. Eles questionaram a nomeação de Eleonora Menicucci na Secretaria de Políticas para as Mulheres, porque ela é a favor do aborto. E criticaram declarações do secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, sobre igrejas evangélicas. Carvalho chegou a pedir desculpas à bancada evangélica no último dia 15.

 Leia mais: Ministro "garçom" teve de pedir a conta

Leia a seguir a íntegra da nota divulgada pela Presidência: 

O Ministro da Pesca e Aquicultura, deputado Luiz Sérgio de Oliveira, está deixando o cargo depois de prestar inestimável contribuição ao governo. À frente da Secretaria de Relações Institucionais e, depois, como responsável pela pasta da Pesca e Aquicultura, Luiz Sérgio desempenhou com dedicação e compromisso com o país todas as tarefas que lhe foram atribuídas pela presidenta Dilma Rousseff.

Em seu lugar, assume o senador Marcelo Crivella, representando o PRB, partido do inesquecível ex-vice presidente José Alencar. A mudança permite a incorporação ao Ministério de um importante partido aliado da base do governo. A presidenta está segura de que, à frente do Ministério da Pesca e Aquicultura, o senador Marcelo Crivella prestará relevantes serviços ao Brasil.

O ministro Luiz Sérgio retorna à Câmara dos Deputados, onde continuará a merecer o apoio e a confiança da presidenta Dilma Rousseff e a prestar excepcional contribuição ao país.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados