Mais Lidas

  1. Demitido por Ivete Sangalo, irmão hoje vende cosméticos

    Entretenimento

    Demitido por Ivete Sangalo, irmão hoje vende cosméticos

  2. Toffoli revoga prisão de Paulo Bernardo na Operação Custo Brasil

    Brasil

    Toffoli revoga prisão de Paulo Bernardo na Operação Custo Brasil

  3. Detran desanca Angélica por celular ao volante: 'Vai de Táxi'

    Entretenimento

    Detran desanca Angélica por celular ao volante: 'Vai de Táxi'

  4. Miss Brasil 2004 é encontrada morta em casa

    Brasil

    Miss Brasil 2004 é encontrada morta em casa

  5. Apartamento não tem foro, diz juiz que autorizou busca e apreensão contra Paulo Bernardo

    Brasil

    Apartamento não tem foro, diz juiz que autorizou busca e apreensão...

  6. Arroz-de-festa Geisy Arruda e outros famosos no Oscar do Pornô

    Entretenimento

    Arroz-de-festa Geisy Arruda e outros famosos no Oscar do Pornô

  7. Seleção olímpica é convocada para Rio-2016 com Prass, Douglas Costa e Neymar

    Esporte

    Seleção olímpica é convocada para Rio-2016 com Prass, Douglas Costa...

  8. Temer anuncia aumento maior do que o prometido por Dilma no Bolsa Família

    Brasil

    Temer anuncia aumento maior do que o prometido por Dilma no Bolsa...

Líder do AfroReggae quer ver pastor-celebridade preso

Para polícia, José Junior confirma acusações contra Marcos Pereira. Ele afirma que pastor participou de ataques do tráfico em 2006

- Atualizado em

O LADO MAU - O pastor Marcos prega: segundo testemunhas, em seu reinado de trevas ele usa a religião para ganhar poder e dinheiro
O LADO MAU O pastor Marcos prega: segundo testemunhas, em seu reinado de trevas ele usa a religião para ganhar poder e dinheiro(VEJA.com/VEJA)

O coordenador da ONG AfroReggae, José Junior, confirmou na Delegacia de Combate às Drogas as denúncias que havia feito em entrevistas e à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) contra o pastor carioca Marcos Pereira. Junior prestou depoimento na tarde desta terça-feira e voltou a dizer que o pastor da Assembleia de Deus dos Últimos Dias é um "farsante". Marcos ficou conhecido no Rio pela sua capacidade de levar tranquilidade a ambientes tomados por bandidos e por retirar centenas de pessoas do tráfico de drogas. As acusações de Junior descortinaram uma nova face do pastor. E, a partir daí, choveram denúncias condenando a conduta do religioso. Até mesmo suspeitas de estupros, tortura de crianças e relações criminosas com os marginais pesam sobre o 'religioso'.

No depoimento o qual VEJA teve acesso, Junior foi categórico: "Só vou ficar tranquilo quando vê-lo de cabeça raspada e camisa verde da Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) sendo transferido para um presídio federal". O coordenador do AfroReggae acusou o pastor de difamá-lo dentro das favelas e o chamou de "psicopata". "Ele tem visões que a pessoa vai morrer e as pessoas morrem. Há duas semanas ele disse que teve uma visão de que eu iria morrer e falou isso num culto para 200 pessoas", contou Junior à polícia.

Uma testemunha da confiança do pastor durante seis anos, hoje afastada da igreja, afirmou que Marcos ficou claramente do lado dos bandidos que organizaram a onda de ataques no Rio em 2006. Depois do terror instaurado na cidade, reuniu os responsáveis em uma churrascaria. "Ele queria que os bandidos tivessem até explodido a Ponte Rio-Niterói. O objetivo era aparecer depois como o intermediário salvador", contou o ex-fiel em depoimento revelado por VEJA desta semana.

LEIA TAMBÉM:

Polícia do Rio investiga pastor-celebridade por denúncias de estupro, tortura e ameaça de morte

Polícia investiga ligação de pastor com ataques do tráfico

TAGs:
Tráfico
Rio de Janeiro