Espiritualidade

João de Deus: por que ele atrai Oprah e o mundo inteiro

Médium conversou com site de VEJA em Abadiânia (GO), onde realiza cirurgias espirituais. Ele diz já ter recebido mais de 9 milhões de pessoas - entre elas celebridades como Xuxa, Chico Anysio, Marcos Frota e Shirley MacLaine

Luciana Marques, de Abadiânia (GO)
  • João de Deus exibe foto autografada que recebeu do ex-presidente de Lula

    Luciana Marques

  • Grupo de oração da Casa de Dom Inácio

    Luciana Marques

  • Fiéis chegam vestidos de branco à Casa de Dom Inácio

    Luciana Marques

  • Fiés de todo o mundo movimentam comércio local de Abadiânia (GO)

    Luciana Marques

  • Diante do crescente movimento, João de Deus projeta novas construções

    Luciana Marques

  • Gaúcha diz que vida espiritual a ajudou a superar câncer

    Luciana Marques

  • João de Deus descansa após participar de sessão espititual

    Luciana Marques

  • João de Deus realiza cirurgia espiritual

    Luciana Marques

  • João de Deus, aos 17 anos, já era médium

    Luciana Marques

  • Muletas deixadas por pacientes que dizem ter recebido cura espiritual

    Luciana Marques

  • Jovem grávida acredita que remédio espiritual pode curar problema na coluna

    Luciana Marques

  • Livros sobre João de Deus são vendidos em vários idiomas

    Luciana Marques

  • Loja atende em três idiomas, além do português, para atrair estrangeiros

    Luciana Marques

  • Mesmo sem rótulas, mulher diz que passou a andar  após cura espiritual

    Luciana Marques

  • Paulista diz que cirurgia espiritual ajudou a reduzir tumor na mama

    Luciana Marques

  • Pessoas do mundo inteiro deixam pedidos de orações

    Luciana Marques

Foto 0 / 16

Ampliar Fotos

“Se precisar sair de joelho daqui a São Paulo por causa do Lula, eu vou”, disse João de Deus

João Teixeira de Faria, de 69 anos, é um fazendeiro do interior de Goiás. Já foi alfaiate e minerador. Hoje é casado com Ana Teixeira e tem onze filhos – nem todos da mesma mãe. Poderia ser uma história comum, se o médium, conhecido como João de Deus, não tivesse virado um fenômeno mundial. Tanto que foi entrevistado na semana passada pela apresentadora mais famosa dos Estados Unidos, a bilionária Oprah Winfrey. Em entrevista ao site de VEJA, ela disse que ficou maravilhada com o que viu na Casa de Dom Inácio, onde o médium atua em Abadiânia (GO), localizada a 115 quilômetros de Brasília. 

Não foi só ela. João de Deus foi procurado por celebridades como a atriz Shirley MacLaine, o humorista Chico Anysio, a apresentadora Xuxa e o ator Marcos Frota. Atendeu políticos com diagnóstico de câncer, como o ex-presidente Lula e o ditador venezuelano, Hugo Chávez. Também já se encontrou com o ex-ministro Nelson Jobim e hoje é amigo do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF). “Só tenho palavras de agradecimento a tudo o que tenho recebido da Casa de Dom Inácio”, disse o senador, que frequenta o local uma vez por mês.

O médium prefere não comentar sua relação com políticos. Mas exibe com orgulho a foto autografada que recebeu do ex-presidente Lula há cerca de um mês. “Se precisar sair de joelho daqui a São Paulo por causa do Lula, eu vou”, disse. Sem revelar detalhes do “tratamento” que fez em Chávez, João de Deus admitiu conhecer o ditador. “Ele não é diferente do Lula, tem dois braços e duas pernas”, afirmou. “Para mim ele é representante do país dele.”

 

 

Cirurgias espirituais - Além dos famosos, João de Deus diz já ter recebido mais 9 milhões de pessoas em todo o mundo. “Ele atende do João Alguém ao João Ninguém”, afirmou Chico Lobo, voluntário da casa. Cerca de mil pessoas visitam o médium por dia – muitas têm câncer ou estão em cadeiras de rodas. João de Deus também faz palestras no exterior – a próxima viagem será para Alemanha, em novembro.

O médium faz cirurgias espirituais, após incorporar “entidades” (como são chamados os bons espíritos), segundo ele. Também há procedimentos com cortes - realizados com facas e tesouras. “Não sou médico, sou fazendeiro e estou numa missão que Deus me confiou desde os oito anos de idade”, disse ao site de VEJA. “Na hora sou inconsciente, não sei da vida das pessoas”, afirmou. As cirurgias não são realizadas com uso de técnicas de medicina, nem recomendadas por centros espíritas tradicionais. Mas fazem parte de um ritual.

Eliana Pigato, de Americana (SP), disse que realizou o procedimento após descobrir que estava com câncer de mama. “A parte que ele tirou, por mais que fosse representada por um pedacinho de carne, era uma parte espiritual minha que eu tinha que rever na minha vida”, afirmou. Ela não abandou os exames em hospitais, por recomendação do médium. João de Deus acredita que o tratamento espiritual é apenas um complemento. Ele prefere não falar em “milagre” ou “mágica”, mas em “cura”. Esta depende do “merecimento” de cada um. 

Antes da sessão – que ocorre duas vezes ao dia todas as quartas, quintas e sextas, em Abadiânia –, as pessoas recebem fichas que as dividem em grupos. Há fila para os que visitam a casa pela primeira vez e para os que vão realizar cirurgias coletivas, por exemplo. Neste último caso, as cirurgias são realizadas somente por meio de orações - sem cortes. O médium se concentra em um quarto antes de iniciar os trabalhos. Enquanto isso, dezenas de pessoas oram em salas ligadas entre si, mas separadas por paredes. Há duas regras básicas: é preciso usar branco e não se pode cruzar mãos e pernas. Ao entrar na sala, João de Deus seleciona as pessoas que deseja operar. Neste momento, ele diz estar tomado por uma "entidade". 

Adivinhação - O site de VEJA presenciou uma sessão coordenada pelo médium na sexta-feira. A todo o tempo ele tentava adivinhar – de forma teatral - a profissão das pessoas ou o tipo de doença que elas teriam. Em vários casos, errou. Foi o que ocorreu ao questionar se um homem era militar. Diante da resposta negativa, João de Deus emendou: “Alguém da sua família é?”. O homem respondeu que sim, tinha um primo.

Então, o médium indagou: “Está pronto para operar?”. Sem dar qualquer explicação sobre o tipo de problema que o homem teria, João de Deus pediu uma tesoura a seus discípulos. E, sem qualquer anestesia, a introduziu no nariz do homem, que sangrou. Após um gemido de dor, ele foi levado em uma cadeira e rodas para uma sala de repouso – uma espécie de enfermaria espiritual.    

Pouco depois, o médium cortou, com uma lâmina, cerca de cinco centímetros da barriga da gaúcha Camila Dri. Ele disse ter retirado um mioma. Após a cirurgia, Camila afirmou ter sentido “ardência” e “paz”. Nenhum exame médico convencional havia revelado o tumor. Para provar que fizera algo excepcional, João de Deus chamou um médico para confirmar que, em casos como aquele, a garota deveria estar sangrando muito – o que não ocorreu.

Após a fase de cirurgias, o médium recebeu pessoas vindas dos mais variados países, que fizeram fila para adorá-lo. Voluntários ajudaram na tradução de línguas como inglês e alemão. João de Deus ficou sentado em uma poltrona e, ao seu lado, havia uma pilha de pedaços de papel. Com um lápis, ele rubricou receitas espirituais – o médium é analfabeto funcional. O paciente deve trocar a receita, na farmácia da Casa de Dom Inácio, por uma caixa de cápsulas. Todas são iguais, feitas de extrato de maracujá. O que as diferencia, segundo o médium, é o papelzinho da receita. Cada uma tem uma “energização” diferente, dependendo do tipo de rubrica. O medicamento custa 10 reais, mas o pagamento não é obrigatório.

Efeito placebo - Gustavo Bernardes, integrante do Conselho de Medicina Regional do Distrito Federal, explica que o tratamento espiritual pode gerar o efeito placebo. Ele ocorre quando a pessoa ingere um medicamento, por exemplo, com a crença de que será curada, mesmo que o remédio não possua as propriedades específicas para o caso. O resultado positivo pode ocorrer tanto pelo funcionamento normal do organismo contra a doença, quanto pela crença na cura. “A fé modifica o sistema imunológico, isso foi comprovado por pesquisas científicas”, disse Bernardes. 

Foi por meio das cápsulas que Maria Cardozo, contadora aposentada de 51 anos, acredita ter se livrado de um câncer que atacou seu intestino, pulmão e fígado. Em outubro de 2009, seu médico lhe deu expectativa de vida de seis meses e sugeriu um tratamento alternativo. Foi quando Maria procurou João de Deus. “Fui buscar um tantinho de esperança e encontrei uma cascata”, disse. A aposentada faz exames médicos todos os meses. “Se meu eterno for mais vinte anos, já estou feliz da vida”.

A esperança de prolongar a vida atrai milhares de doentes para a Casa de Dom Inácio. A espiritualidade é outro motivo, segundo a norueguesa Lotte Amland, de 26 anos. “Estou em busca de desenvolvimento espiritual”, disse. Ela que gostou tanto do local que esticou a viagem por mais três semanas.

Sincretismo - A Casa de Dom Inácio é ecumênica e diz não pregar doutrinas. João de Deus frequenta a Igreja Católica aos domingos– ele é devoto de Nossa Senhora e de Santa Rita de Cássia. “Tanto faz ser evangélico, espírita, católico. Ao trabalhar para a cura espiritual, você está falando em nome de Deus”, afirmou o médium.

A estrutura da casa é adornada com símbolos religiosos, como velas, terços, cristais, bíblias, imagens de santos e triângulos (que representam paz, amor e fraternidade). Após a sessão, que dura cerca de três horas, os fiéis tomam um pouco de água fluidificada (que se assemelha à água benta da tradição católica). O banho em uma cachoeira próxima ao local também faz a “limpeza espiritual”. A casa oferece ainda sopa grátis para os visitantes durante o almoço. João de Deus faz questão que todos se alimentem. Nem a apresentadora Oprah escapou: ela comeu um prato de arroz, feijão e salada na quinta-feira passada.

Outros recursos também são usados para atrair seguidores, como o brilho de cristal, ou cromoterapia. A pessoa deita em uma cama e recebe uma iluminação de cores por meio de um equipamento eletrônico. “É bem concorrido”, disse a funcionária Leonice Caldeira da Silva. Segundo ela, as reações vão de risos a choros. Assim como a maioria dos funcionários da casa, Leonice passou a trabalhar no local após uma realização pessoal. Ela disse que o marido alcóolatra parou de beber ao ser aconselhado pela “entidade”. 

Segundo o administrator Hamilton Pereira, a Casa de Dom Inácio tem 28 funcionários remunerados e trezentos voluntários, que trabalham em sistema de rodízio. Os salários são definidos pelo próprio médium. De acordo com Pereira, somando-se os lucros da loja de lembrancinhas, da lanchonete e da farmácia, o rendimento mensal do local é de 100.000 reais. A casa também recebe doações, mas os funcionários não são autorizados a receber dinheiro de fiéis. 

Comércio - O voluntário Norberto Kist mora em Abadiânia há cinco anos, depois de sofrer decepções pessoais. “Vim para cá e fiquei impressionado”, contou. Ele faz traduções para o alemão na Casa de Dom Inácio e se sustenta com a renda de duas pousadas que construiu com a esposa para receber os fiéis.

A pacata Abadiânia, aliás, gira em torno da Casa de Dom Inácio. As lojas oferecem produtos para atender principalmente os visitantes internacionais. A livraria, por exemplo, virou “bookstore”. Uma loja que vende bijuterias de pedras avisa, em um recado na porta, que atende em inglês, francês e espanhol.

“Atendemos mais estrangeiros e a roupa branca vende bem”, disse a comerciante Dayane Batista. “O movimento da cidade é por causa da Casa de Dom Inácio”, completou Jakeline Rocha, que trabalha em uma lanchonete. No cardápio, escrito em inglês, muitas frutas e comidas típicas brasileiras. Tudo para satisfazer a clientela de João de Deus.
 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados