Mais Lidas

  1. A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

    Brasil

    A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

  2. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  3. Pacote de ‘bondades’ de Dilma deixa bomba fiscal de R$ 10 bilhões

    Economia

    Pacote de ‘bondades’ de Dilma deixa bomba fiscal de R$ 10 bilhões

  4. Às vésperas da votação do impeachment, Dilma troca comando da empresa de comunicação do governo

    Brasil

    Às vésperas da votação do impeachment, Dilma troca comando da...

  5. Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de fora

    Esporte

    Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de...

  6. Janot pede abertura de inquérito contra Dilma, Lula e Cardozo

    Brasil

    Janot pede abertura de inquérito contra Dilma, Lula e Cardozo

  7. Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

    Entretenimento

    Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

  8. Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

    Brasil

    Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

Garotinho volta a atacar Cabral

Agora, o principal adversário do governador do Rio tenta ligar seu nome ao escândalo de corrupção que resultou na Operação Castelo de Areia

- Atualizado em

Deputado Anthony Garotinho PR/RJ
Deputado Anthony Garotinho PR/RJ(Leonardo Prado/Agência Câmara/VEJA)

O ex-governador e senador Anthony Garotinho (PR) desferiu, neste sábado, mais um golpe contra o governador Sérgio Cabral. Desta vez, utilizou seu blog para tentar ligar o nome de Cabral à Operação Castelo de Areia, de 2009, que investigou lavagem de dinheiro e pagamento de propinas pela construtora Camargo Corrêa. A operação foi considerada ilegal e teve as escutas anuladas pelo Supremo Tribunal de Justiça, que trancou a ação. No entanto, Garotinho afirma ter em mãos o relatório completo da Polícia Federal, que utiliza para mais um ataque ao governador.

Garotinho publica um trecho do que seria o relatório da PF, no qual Carlos Emanuel de Carvalho Miranda consta como um dos possíveis receptadores das propinas distribuídas através de um doleiro. Segundo o ex-governador, Miranda, que foi consultor técnico da Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa do Rio quando Cabral era o presidente da Casa, é sócio do governador na empresa SCF Comunicações e Participações Ltda. De acordo com sua prestação de contas à Justiça Eleitoral, Cabral detém 90% das cotas da empresa. O terceiro sócio é Ricardo Cota, secretário de Comunicação de Cabral. O endereço da empresa é residencial, e o telefone pertence a um cunhado do governador.

No mesmo suposto relatório da PF, aparece o nome de Wilson Carlos, secretário de governo de Cabral, como outro receptador do dinheiro da Camargo Corrêa. Na edição de ontem do blog, Garotinho já publicara seu nome. O secretário já fora alvo de uma das investidas anteriores do ex-governador. É ele quem posa ao lado de uma Ferrari preta em Paris, na sequência de fotos em que o governador e seus secretários aparecem em comemorações alegres e luxuosas, em companhia de Fernando Cavendish, dono da Delta Construções.

Através de sua assessoria de imprensa, Cabral informou que a empresa SCF Comunicações foi desativada no segundo semestre de 2006, portanto, antes dele assumir o governo, em 2007. A empresa foi registrada no endereço de uma prima do governador, casada com Carlos Emanuel de Carvalho, um dos sócios. Cabral também tentou desqualificar a série de denúncias contra ele, publicadas no blog de Garotinho:

"Mais uma série de leviandades que não merece comentários. Essas falsas investigações que o ex-governador Garotinho publica no blog dele devem ser obtidas a partir de ex-policiais, os que foram expulsos por corrupção do nosso governo", afirma Cabral.

LEIA TAMBÉM:

Garotinho, agora, divulga vídeo de Cabral no show do U2

TAGs:
Delta Construção
Sérgio Cabral
Corrupção
CPI do Cachoeira
Rio de Janeiro
Anthony Garotinho