Mais Lidas

  1. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  2. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  3. Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca bate-boca

    Brasil

    Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca...

  4. Aliados de Dilma entram em campo para impedir votação da nova meta

    Brasil

    Aliados de Dilma entram em campo para impedir votação da nova meta

  5. Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

    Entretenimento

    Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

  6. Temer bate na mesa e diz que sabe o que fazer no governo: 'Eu tratava com bandidos'

    Brasil

    Temer bate na mesa e diz que sabe o que fazer no governo: 'Eu...

  7. Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é procurada pela polícia'

    Brasil

    Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é...

  8. Morre, aos 65, o criminalista Arnaldo Malheiros Filho

    Brasil

    Morre, aos 65, o criminalista Arnaldo Malheiros Filho

Executivo da Yoki é enterrado em São Paulo

Desaparecido desde o último dia 20, o empresário teve o corpo esquartejado. A polícia suspeita da mulher, presa desde segunda-feira

- Atualizado em

Carro da polícia científica na porta do edifício onde morava Marcos Kitano Matsunaga: mulher é a principal suspeita
Carro da polícia científica na porta do edifício onde morava Marcos Kitano Matsunaga: mulher é a principal suspeita(Apu Gomes/Folhapress/VEJA)

Foi enterrado na tarde desta terça-feira, no Cemitério São Paulo, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 42 anos, diretor executivo da empresa de alimentos Yoki, uma das gigantes do setor. Desaparecido desde o último dia 20, o empresário foi esquartejado e teve partes do corpo encontradas em diversos pontos na região de Cotia, grande São Paulo.

Os detalhes da investigação serão apresentados pela Polícia Civil em entrevista coletiva que acontece a partir das 16 horas desta terça-feira, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O diretor do DHPP, delegado Jorge Carrasco, adiantou à Globonews haver "fortes indícios de participação" da mulher do empresário, Elize Matsunaga, no crime.

Elize foi presa temporariamente na última segunda-feira, depois que policiais passaram mais de cinco horas realizando perícias no apartamento do casal - onde foi utilizado o luminol, equipamento que detecta a presença manchas de sangue invisíveis a olho nu.

Entre os indícios apontados pela polícia está o vídeo do circuito interno de TV do edifício, que mostra a última vez em que Marcos Matsunaga foi visto com vida. As imagens não foram divulgadas, mas segundo a polícia mostram o empresário entrando no prédio e, algum tempo depois, a mulher deixando o edifício com uma mala de rodinhas.

Outro indício apontado pela polícia é a precisão dos cortes feitos nos membros do empresário, indicando conhecimentos de anatomia. Elize é bacharel em Direito, mas já trabalhou como enfermeira. A polícia também vê coincidência entre a marca dos sacos plásticos utilizados para transportar as partes do corpo e a encontrada na residência do casal.

Ainda não se sabe a motivação do crime. O advogado da família Matsunaga, Luiz Flávio D'Urso, cogitou a possibilidade de crime passional. Outra hipótese é de haver relação com o conturbado processo de aquisição da Yoki pelo grupo americano General Mills, por R$ 1,95 bilhão, negócio que foi concluído enquanto o empresário ainda estava desaparecido.

TAGs:
Homicídio
Investigação