Dono da boate Kiss deixa hospital e vai para a prisão

Elissandro Spohr saiu algemado rumo à Penitenciária Modulada de Ijuí

Por: Luís Bulcão, de Santa Maria - Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


Elissandro Spohr, dono da boate Kiss, de Santa Maria, saiu algemado nesta terça-feira do Hospital Santa Lúcia, em Cruz Alta - onde estava internado desde o incêndio na casa noturna, que matou 238 pessoas no último dia 27. Ao deixar a unidade de saúde, o empresário foi imediatamente conduzido para a Penitenciária Estadual de Santa Maria . De acordo com o médico responsável pelo atendimento, Kiko teve alta por não apresentar mais problemas pulmonares. O empresário chegou a Santa Maria às 21h30 de terça-feira.

Leia: Morre a 238ª vítima do incêndio na boate Kiss

Em entrevista gravada por seu advogado e veiculada na televisão nesse domingo, Kiko disse não saber que a banda usava efeitos de pirotecnia e negou que a boate estivesse superlotada na noite da tragédia. Entretanto, conforme o número de vítimas e de atendimentos registrados pela Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, estariam no local, no mínimo, entre 750 e 800 pessoas, de acordo com o chefe de Polícia do estado, delegado Ranolfo Vieira Júnior. Oficialmente, a lotação máxima da Kiss deveria ser de 691 pessoas.

Técnicos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul começaram na manhã desta terça-feira mais uma varredura no prédio da boate Kiss, em Santa Maria, atrás de novos elementos que possam ajudar a esclarecer como o incêndio teve início. A tragédia já matou 238 pessoas. Outras 93 permanecem hospitalizadas - segundo dados da Secretaria de Saúde do estado.

Leia também:

Santa Maria: Secretário de Segurança do RS acusa prefeitura

Temperatura dentro da boate Kiss passou dos 300°C

A inércia do Congresso brasileiro diante de tragédias

TAGs:
Santa Maria
Tragédia
Rio Grande do Sul