Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de fora

    Esporte

    Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de...

  3. PGR pede para incluir Lula e cúpulas do PT e PMDB em inquérito sobre quadrilha do petrolão

    Brasil

    PGR pede para incluir Lula e cúpulas do PT e PMDB em inquérito...

  4. MP denuncia Lula por suspeitas de atrapalhar investigações da Lava Jato

    Brasil

    MP denuncia Lula por suspeitas de atrapalhar investigações da Lava...

  5. Dilma indica que não renuncia: 'Injustiça vai ficar visível'

    Brasil

    Dilma indica que não renuncia: 'Injustiça vai ficar visível'

  6. Aécio fala em 'receio' de que ministério de Temer se pareça com o de Dilma

    Brasil

    Aécio fala em 'receio' de que ministério de Temer se pareça com o...

  7. Usa secador de mãos no banheiro? Cuidado, ele transmite até o H1N1

    Saúde

    Usa secador de mãos no banheiro? Cuidado, ele transmite até o H1N1

  8. De Beyoncé a Madonna, saiba quem brilhou — ou assustou — no baile do MET

    Entretenimento

    De Beyoncé a Madonna, saiba quem brilhou — ou assustou — no baile...

Dirceu, pivô do mensalão, fala sobre a ditadura na TV

Trecho de depoimento foi exibido na novela "Amor & Revolução"

- Atualizado em

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, entre o autor da novela "Amor e Revolução", Tiago Santiago (à esquerda), e o diretor da trama, Reynaldo Boury. Dirceu gravou depoimento sobre a ditadura militar que será exibido pelo SBT em 20 de abril de 2011
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, entre o autor da novela "Amor e Revolução", Tiago Santiago (à esquerda), e o diretor da trama, Reynaldo Boury(Lourival Ribeiro/SBT/VEJA)

O ex-ministro José Dirceu merece, sem sombra de dúvida, constar dos livros de história. Ele foi personagem central do maior esquema de corrupção já detectado no Brasil - o mensalão petista - e artífice do processo de aparelhamento do estado que o governo Lula protagonizou em oito anos de poder. É por esses dois episódios que sua história deve ser medida. E é bom ter isso em mente ao assistir aos depoimentos que ele gravou para a novela Amor & Revolução, do SBT. A trama diz respeito aos anos de chumbo impostos ao Brasil pelo governo militar. Dirceu foi chamado para falar de seu envolvimento na luta contra a ditadura. Sim, ele tem algo para contar. Mas nessa trama, não passa de uma figura menor.

O depoimento que foi ao ar nesta quarta foi apropriadamente burocrático. Ele recordou o episódio de Ibiúna, quando centenas de estudantes foram presos pela repressão durante um congresso clandestino. Algum tempo depois, o ex-ministro foi libertado, ao lado de diversos outros presos políticos, em troca do embaixador americano no Brasil, Charles Elbrick.

De acordo com o autor da novela, Tiago Santiago, os depoimentos de Dirceu, assim como os de outros, vão voltar quando a trama se aproximar do período de acirramento da luta terrorista contra o regime militar.

O depoimento do pivô do escândalo do mensalão surpreendeu o escritor e jornalista Flávio Tavares, libertado junto com José Dirceu. "Em nenhum momento ele tentou se colocar em primeiro plano e, importante, contou que não foi torturado", afirmou o ex-preso político. "Quando saímos do Brasil, ele foi para Cuba treinar e eu viajei para o México", lembra. "Ao retornar para casa, Dirceu optou por viver clandestino no Paraná. Ele soube recuar, admitir a derrota."

O cientista político Marco Antônio Villa explica o fraco desempenho teledramatúrgico de Dirceu, quando comparado com os demais militantes políticos. "Ele não foi torturado. No retorno ao Brasil, não participou da luta contra a ditadura. Viveu como um pequeno empresário no interior, mais preocupado com o balanço da loja e com o noticiário esportivo", diz.

TAGs:
José Dirceu
Julgamento do Mensalão