Mais Lidas

  1. Sonia Abrão abandona programa após ouvir choro

    Entretenimento

    Sonia Abrão abandona programa após ouvir choro

  2. Para Lula, eleição de Dilma foi seu erro mais grave, revela novo áudio

    Brasil

    Para Lula, eleição de Dilma foi seu erro mais grave, revela novo áudio

  3. Alvo de investigação, sobrinho de Lula é processado por calotes em série

    Brasil

    Alvo de investigação, sobrinho de Lula é processado por calotes em...

  4. Veja fotos da casa onde adolescente foi estuprada no Rio

    Brasil

    Veja fotos da casa onde adolescente foi estuprada no Rio

  5. Paixão, obsessão e morte

    Entretenimento

    Paixão, obsessão e morte

  6. Marido toma gosto e posta nova foto sensual de Luana Piovani

    Entretenimento

    Marido toma gosto e posta nova foto sensual de Luana Piovani

  7. Comercial chinês de sabão é acusado de ser o mais racista da história

    Mundo

    Comercial chinês de sabão é acusado de ser o mais racista da história

  8. A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima de estupro coletivo

    Brasil

    A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima...

Dilma e Alencar também trataram câncer no Sírio-Libanês

Fundado em 1921, hospital é considerado um dos melhores do mundo

- Atualizado em

Dilma Rousseff foi nomeada ministra de Minas e Energia pelo presidente Lula em 2002
Dilma Rousseff recebeu o diagnóstico de câncer no sistema linfático em 25 de abril de 2009(Rose Brasil/ABR/VEJA)

O Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se trata a partir da semana que vem de um câncer na laringe, também foi o local escolhido pela presidente Dilma Rousseff e pelo ex-vice-presidente José Alencar na busca da cura para a doença. Fundado em 1921 com o nome Sociedade Beneficente de Senhoras, o Sírio-Libanês é considerado um dos melhores hospitais do mundo e tem, entre as especialidades, o tratamento do câncer.

José Alencar travou uma luta de mais de uma década contra um tumor abdominal. Passou por 16 cirurgias nos últimos 4 anos de vida. Esteve internado no Sírio Libanês dezenas de vezes. A penúltima, em fevereiro deste ano, foi em consequência de uma peritonite, inflamação na membrana que reveste a parte interna do abdômen. A derradeira internação ocorreu por causa de uma perfuração no intestino. Alencar ficou apenas um dia no hospital, antes de morrer em 29 de março de 2011.

Dilma Rousseff informou a descoberta de um linfona - câncer no sistema linfático - em 25 de abril de 2009. O tumor de 2,5 centímetros, em estágio inicial, foi detectado na axila esquerda. A cirurgia para retirá-lo, realizada no Sírio-Libanês, durou 45 minutos. Durante o tratamento, Dilma passou alguns períodos no hospital por causa de dores musculares decorrentes da quimioterapia. Na época, os médicos anunciaram que a chance de cura era de 90%. Dilma fez parte dessa maioria. No fim de setembro de 2010, a presidente anunciou que estava "livre de qualquer evidência de linfoma".

TAGs:
Dilma Rousseff
Lula
José Alencar