Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a Dilma

    Brasil

    Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a...

  3. Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

    Brasil

    Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

  4. 'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

    Entretenimento

    'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

  5. Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

    Entretenimento

    Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

  6. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  7. 'Carta de princípios' do PSDB a Temer defende combate à corrupção e redução de ministérios

    Brasil

    'Carta de princípios' do PSDB a Temer defende combate à corrupção e...

  8. Brasil foi vítima de estelionato eleitoral, diz procurador do TCU

    Brasil

    Brasil foi vítima de estelionato eleitoral, diz procurador do TCU

Detenção de integrantes da 'Mídia Ninja' prolongou os protestos

Depois de encerrada a manifestação no Palácio Guanabara, manifestantes foram para a 9ª DP protestar contra a prisão autoritária de dois jovens que filmavam o evento

Por: Carol Farina, Cecília Ritto, Pâmela Oliveira e Leslie Leitão - Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


Duas detenções feitas pela Polícia Militar fizeram o protesto do Palácio Guanabara, que poderia ter se dissipado às 21h, ser estendido até quase 23h desta segunda-feira. Os policiais deram voz de prisão a dois jovens que filmavam e transmitiam em tempo real o protesto, integrantes do grupo que ficou conhecido como Mídia Ninja (Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação). Felipe Peçanha foi o primeiro detido. Logo em seguida foi capturado Felipe Assis.

As primeiras alegações da Polícia Militar foi de que eles estavam "incitando a violência". No entanto, na 9ª DP (Catete), nada foi comprovado, e os dois acabaram liberados, depois de cerca de duas horas na delegacia, pouco depois das 22h30.

Leia também:

Bomba é encontrada no Santuário de Aparecida

Exército vai barrar manifestantes em Guaratiba

Conheça o roteiro detalhado do papa Francisco no Brasil

O verdadeiro objetivo da prisão, segundo uma fonte da Polícia Civil afirmou ao site de VEJA, era o levantamento de dados criminais dos detidos - um procedimento autoritário. Na delegacia, os dois detidos tiveram os registros consultados. Caso fosse encontrado algum problema com a Justiça, ficariam presos. Como não havia impedimento, os dois foram liberados, mas deixaram de transmitir grande parte dos protestos.

As detenções causaram problemas para a própria polícia. Como a notícia se espalhou, manifestantes se concentraram em frente à delegacia, e passaram então a gritar palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral, a polícia e o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame: "Ei, Beltrame, sua polícia e um vexame!"

Primeiro a ser detido, Felipe Peçanha fez um pronunciamento em frente à delegacia. "Me impediram de fotografar, fazer vídeos e transmitir o que acontecia. Isso é um exemplo claro da ditadura velada que enfrentamos no Rio", disse.

Representantes do Mídia Ninja foram recebidos durante uma hora e meia pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, na última sexta-feira, para uma entrevista inédita: em vez de um grupo de jornalistas de uma empresa de comunicação, o prefeito falou a um grupo que surgiu nas manifestações. O prefeito conseguiu, assim, sair ainda mais do foco dos protestos, deixando o governador Cabral no olho do furacão.

Apesar da ausência da Mídia Ninja em grante parte do protesto da noite de segunda-feira, outro grupo assumiu a função de transmitir a manifestação em frente à delegacia. Dentro do site bambuser.com, uma publicação criada com o nome de 'papafolia' transmitiu o tumulto e os protestos em favor da Mídia Ninja.

TAGs:
Papa
Papa Francisco
Rio de Janeiro
Protestos