Mais Lidas

  1. Sonia Abrão abandona programa após ouvir choro

    Entretenimento

    Sonia Abrão abandona programa após ouvir choro

  2. Veja fotos da casa onde adolescente foi estuprada no Rio

    Brasil

    Veja fotos da casa onde adolescente foi estuprada no Rio

  3. Para Lula, eleição de Dilma foi seu erro mais grave, revela novo áudio

    Brasil

    Para Lula, eleição de Dilma foi seu erro mais grave, revela novo áudio

  4. Paixão, obsessão e morte

    Entretenimento

    Paixão, obsessão e morte

  5. Comercial chinês de sabão é acusado de ser o mais racista da história

    Mundo

    Comercial chinês de sabão é acusado de ser o mais racista da história

  6. Alvo de investigação, sobrinho de Lula é processado por calotes em série

    Brasil

    Alvo de investigação, sobrinho de Lula é processado por calotes em...

  7. A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima de estupro coletivo

    Brasil

    A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima...

  8. Vício em álcool e drogas levou Johnny Depp à violência, acusa ex

    Entretenimento

    Vício em álcool e drogas levou Johnny Depp à violência, acusa ex

Delator afirma que Aécio recebeu propina, diz jornal

Entregador de dinheiro de Alberto Youssef afirmou que o senador tucano foi destinatário de R$ 300 mil. Aécio diz que objetivo é tumultuar investigações

- Atualizado em

Senador Aécio Neves (PSDB-MG)
Senador Aécio Neves (PSDB-MG)(George Gianni/PSDB/Divulgação)

Reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal Folha de S.Paulo informa que Carlos Alexandre de Souza Rocha, apontado como entregador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef, disse em delação premiada ter levado R$ 300 mil a um diretor da UTC Engenharia no Rio de Janeiro, que por sua vez repassaria a quantia ao senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Conhecido pelo apelido de "Ceará", Rocha afirmou que o repasse foi feito no segundo semestre de 2013. Conforme a reportagem, ele afirmou que naquele ano fez quatro entregas a um diretor da UTC chamado Miranda, no Rio.

Em seus depoimentos, o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, nunca mencionou o nome do senador tucano. O doleiro Alberto Yousseff, pivô da Operação Lava Jato, também não citou o tucano.

Em nota, a assessoria de Aécio Neves classificou a afirmação como "absurda e irresponsável", "cuja intenção é constranger o PSDB, confundir a opinião pública e desviar o foco das investigações".

"Essa absurda e irresponsável citação do nome do senador, sem nenhum tipo de comprovação, já foi desmentida três vezes: pela empresa, que afirmou na própria matéria da Folha "que a acusação não tem fundamento", pelo dono da UTC, Ricardo Pessoa, que em delação premiada relacionou os políticos que teriam sido beneficiados pela empresa - entre eles não está o senador Aécio Neves - e por Youssef, que anteriormente, através de seu advogado, já havia afirmado que não conhece o senador e nunca teve com ele qualquer tipo de relação ou negócio, posição reafirmada por ele em depoimento prestado à Policia Federal (...) A falsidade da acusação pode ser constatada também pela total ausência de lógica: o senador não exerce influência nas empresas do governo federal com as quais a empresa atuava e não era sequer candidato à época mencionada. Além disso, a UTC não executou nenhuma obra vinculada ao Governo de Minas Gerais no período em que o senador governou o estado", diz a nota do PSDB.

TAGs:
Operação Lava Jato
Aécio Neves