Bahia

Corpos de jovens passarão por identificação no IML de Teixeira de Freitas

Delegado disse que familiares estiveram no local onde foi encontrado carro com cinco corpos e teriam reconhecido objetos pessoais das vítimas. Jovens desapareceram durante viagem entre ES e BA

Cida Alves
Amanda Oliveira, Marllonn Amaral, Rosaflor Oliveira, Izadora Ribeiro e André Galão estavam desaparecidos há quatro dias

Amanda Oliveira, Marllonn Amaral, Rosaflor Oliveira, Izadora Ribeiro e André Galão estavam desaparecidos há quatro dias (Reprodução)

Os corpos retirados nesta madrugada de um carro encontrado no Rio Mucuri, na localidade de mesmo nome no sul da Bahia, passarão por reconhecimento de familiares dos cinco jovens desaparecidos havia quatro dias durante uma viagem de São Mateus, no norte do Espírito Santo, para Prado, na Bahia. O Fiat Punto no qual viajavam Amanda Oliveira, de 22 anos, Izadora Ribeiro, 21, Marllonn Amaral, 21, Rosaflor Oliveira, 24, e André Galão, 28, foi encontrado na noite desta terça-feira submerso no rio próximo a um trecho com alto índice de acidentes da BR 101, já na Bahia, a poucos quilômetros da fronteira com o Espírito Santo. Quatro corpos estavam dentro do veículo e um do lado de fora, às margens do rio.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Crimes contra a Vida de São Mateus, Janderson Lube, que acompanha as investigações, familiares das vítimas estiveram no local onde o carro foi encontrado e reconheceram objetos pessoas dos jovens na bagagem que ia no veículo. Mesmo assim, os corpos passarão por reconhecimento no Instituto Médico Legal (IML) de Texeira de Freitas, na Bahia, para onde foram encaminhados às 4 horas desta quarta-feira. Além de confirmar a identidade das vítimas, serão realizados exames para comprovar a causa da morte.

"Todas as circusntâncias averiguadas até agora apontam que houve um acidente. As vítimas encontradas dentro do carro teriam morrido por afogamento, e a que foi lançada para fora do veículo, por trauma. Mas tudo isso terá de ser confirmado pela perícia, que está sendo feita pela polícia da Bahia", afirmou Lube. Segundo o delegado, o Fiat Punto estava submerso de cabeça para baixo. O deslocamento do motor do carro indicaria que houve uma batida violenta. O trecho onde o carro foi encontrado tem alto índice de acidentes, asfalto com superfície irregular e curvas perigosas. O carro com os jovens teria perdido o controle em uma curva da BR-101 e caído em uma ribanceira.

 

PRF-BA/Divulgação

Carro dos cinco jovens de São Mateus (ES) que desapareceram em uma viagem para a Bahia encontrado no Rio Mucuri (BA)

Indícios do local onde foi encontrado o carro fortalecem a hipótese de acidente

As investigações do acidente serão feitas pela polícia da Bahia, que continuará contando com apoio de policiais do Espírito Santo. A operação para retirada dos corpos e do carro do Rio Mucuri durou quase toda a madrugada e mobilizou cerca de 60 agentes da polícia e do Corpo de Bombeiros.

O sumiço do grupo era investigado havia quatro dias por equipes da polícia civil dos dois estados, com o apoio de helicópteros. Os jovens saíram de São Mateus, no norte do Espírito Santo, por volta das 19 horas de sexta em direção a Prado, no litoral sul da Bahia, mas não chegaram ao destino. O grupo foi visto pela última vez em um posto de combustível na cidade baiana de Itabatã. O grupo estavam em um Fiat Punto de cor bege, placa ODC 6985, e viajavam para a casa dos pais de Izadora, onde participariam de uma festa de aniversário da mãe da jovem, no sábado.

Alarme falso - Na manhã desta terça-feira, Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo informou que cinco corpos tinham sido encontrados em um carro semelhante ao ocupado pelos jovens, em um precipício próximo à BR-418, região de Juerana, no sul da Bahia. Entretanto, já no início da tarde, o delegado Danilo Bahiense disse ao site de VEJA, por telefone, que a informação não procedia. "Essa informação realmente chegou a nós. Viemos ao local com um helicóptero, mas nada foi encontrado", disse Bahiense.

Durante a entrevista coletiva, a Polícia Civil do Espírito Santo informou que a confusão se deu por causa de uma denúncia feita por duas funerárias do interior da Bahia, que ouviram falar de um acidente envolvendo cinco pessoas na região. Segundo a SESP-ES, Bahiense foi informado da denúncia e se deslocou até o local para checar as informações, mas nada foi constatado.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados