Mais Lidas

  1. Doleiro ligado a Eduardo Cunha é preso em operação da Lava Jato em Brasília

    Brasil

    Doleiro ligado a Eduardo Cunha é preso em operação da Lava Jato em...

  2. Membros do Estado Islâmico que fugiam de Fallujah são dizimados no Iraque

    Mundo

    Membros do Estado Islâmico que fugiam de Fallujah são dizimados no...

  3. Turista alemão morre ao tentar tirar selfie em Machu Picchu

    Mundo

    Turista alemão morre ao tentar tirar selfie em Machu Picchu

  4. PF descobre laços impróprios entre Toffoli e empreiteiro do petrolão

    Brasil

    PF descobre laços impróprios entre Toffoli e empreiteiro do petrolão

  5. Renan desengaveta projeto que define crimes de abuso de autoridade

    Brasil

    Renan desengaveta projeto que define crimes de abuso de autoridade

  6. Envenenamento causou morte de empresário investigado na Operação Turbulência

    Brasil

    Envenenamento causou morte de empresário investigado na Operação...

  7. Em imagens, o vestido da discórdia em Wimbledon

    Esporte

    Em imagens, o vestido da discórdia em Wimbledon

  8. STF suspende ações de juízes do Paraná contra o jornal 'Gazeta do Povo'

    Brasil

    STF suspende ações de juízes do Paraná contra o jornal 'Gazeta do...

Chuva já matou 3 em Petrópolis. E o número deve crescer

Cidade é a mais afetada pela chuva na Região Serrana do Rio de Janeiro

- Atualizado em

Praça Dom Pedro, em Petrópolis, ficou completamente alagada
Praça Dom Pedro, em Petrópolis, ficou completamente alagada(Reprodução/Twitter/VEJA)

A forte chuva que atinge a Região Serrana do Rio de Janeiro desde o domingo já provocou três mortes em Petrópolis, cidade mais atingida pelo temporal. E a expectativa do Corpo de Bombeiros é de que o número aumente nas próximas horas. Isso porque pelo menos três pessoas estão desaparecidas, de acordo com informações do secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc, ao telejornal Bom Dia Rio, da Rede Globo. Minc informou que a prefeitura da cidade decretou situação de emergência.

De acordo com o prefeito Rubens Bontempo, os sinais sonoros que alertam para fortes chuvas foram acionados e dez escolas municipais foram abertas para a população. Nas últimas horas, choveu 358 milímetros na cidade, de acordo com o Climatempo. O previsto para todo o mês de março era 270 milímetros

Com a tempestade, vários bairros da cidade ficaram alagados, inclusive as ruas do centro de Petrópolis. A enxurrada arrastou veículos e deixou pessoas ilhadas, dificultado também o trabalho da Defesa Civil, que tem problemas para chegar até locais mais isolados. Segundo o secretário estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, coronel Sérgio Simões, há pelo menos 100 homens do Corpo de Bombeiros reforçando os trabalhos da Defesa Civil municipal em Petrópolis. Simões afirmou ao Bom Dia Rio que os bombeiros trabalham para localizar outros corpos.

Além disso, a terra deslizou em diversos morros e encostas - pelo menos 88 deslizamentos foram registrados. De acordo com a Defesa Civil do município, os bairros mais afetados são Alto da Serra, Quitandinha, Sargento Boening, Siméria, Lopes Trovão e Independência. A Defesa Civil afirma que a situação só não é pior porque as sirenes instaladas em áreas de risco foram acionadas e muitas pessoas conseguiram sair de casa e procurar os chamados pontos de apoio.

São Sebastião - A chuva também causou prejuízos em São Sebastião (SP). O prefeito da cidade, Ernane Bilotti Primazzi (PSC), decretou estado de calamidade pública no município devido ao temporal que atingiu a região entre a tarde de sábado e todo o domingo.

Até o momento, cerca de 650 pessoas estão desabrigadas, vários bairros com ruas alagadas e a Rodovia Rio-Santos foi interditada entre os quilômetros 156 e 162, na altura de Maresias. O motivo foi a queda de duas barreiras e outros quatro pequenos deslizamentos. Segundo a Defesa Civil e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), a rodovia chegou a ser invadida pela água do mar. Outra rodovia que precisou ser interditada foi a Mogi-Bertioga, que também dá acesso à capital paulista. Várias quedas de barreiras entre os quilômetros 77 e 98 fecharam a estrada. A Rodovia dos Tamoios, que liga o Vale do Paraíba ao litoral norte, também registrou pequenos deslizamentos.

TAGs:
Chuvas
Rio de Janeiro