Mais Lidas

  1. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  2. Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

    Entretenimento

    Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

  3. Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança desaparece

    Mundo

    Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança...

  4. Suspeitos de envolvimento no estupro coletivo de adolescente são considerados foragidos da Justiça

    Brasil

    Suspeitos de envolvimento no estupro coletivo de adolescente são...

  5. Filho de Temer, Michelzinho tem R$ 2 milhões em imóveis em SP

    Brasil

    Filho de Temer, Michelzinho tem R$ 2 milhões em imóveis em SP

  6. Cara Delevingne seria pivô de briga entre Johnny Depp e Amber Heard

    Entretenimento

    Cara Delevingne seria pivô de briga entre Johnny Depp e Amber Heard

  7. Laudo tardio feito em vítima de estupro coletivo não aponta violência

    Brasil

    Laudo tardio feito em vítima de estupro coletivo não aponta violência

  8. "Quando encontrar meu corpo, avise meu marido e minha filha"

    Mundo

    "Quando encontrar meu corpo, avise meu marido e minha filha"

Após reforma, Feira da Madrugada é reaberta

Fechada desde maio, o centro de comércio popular obteve o Auto de Vistoria dos Bombeiros e voltou a funcionar na madrugada desta quinta-feira

- Atualizado em

Após cerca de oito meses de reformas, a Feirinha da Madrugada, na região do Brás, no Centro, foi reaberta para o público na madrugada desta quinta-feira (19)
Nova Feira da Madrugada tem capacidade para 4.000 boxes (Mauricio Camargo/Eleven/Folhapress/VEJA)

Fechada há sete meses para reformas, a Feira da Madrugada, na região central de São Paulo, reabriu nesta quinta-feira. O centro de comércio popular obteve o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, documento que atesta a segurança e possibilita o funcionamento do comércio.

A feira foi fechada em 8 de maio por causa do risco de segurança. A medida causou protestos de comerciantes da região, que chegaram a bloquear a Avenida do Estado em diversas ocasiões.

"Quem viu a feirinha há um ano e vê hoje não tem o que reclamar. Estava todo mundo correndo risco de vida", disse nesta quarta-feira, o prefeito Fernando Haddad (PT). "Estamos reabrindo com condições de segurança. Temos capacidade de estacionamento para mais de 300 ônibus hoje", disse.

Leia também:

Propina amplia feira 'sem lei' da madrugada em SP

São Paulo terá 140 linhas de ônibus ativas na madrugada

O espaço terá capacidade para cerca de 4.000 boxes. Segundo comerciantes, o local tinha 4.561 vagas, concentradas nas mãos de 2.900 ambulantes. Como agora só será permitido um boxe por trabalhador, novas vagas estarão disponíveis. Segundo o prefeito, os boxes vagos serão sorteados entre camelôs que estão do lado de fora do centro de compras.

A feira já estava aberta na noite desta quarta-feira para que comerciantes fizessem os preparativos. De acordo com Ailton Vicente de Oliveira, de 49 anos, presidente da Federação do Comércio Popular do Estado de São Paulo e integrante da comissão de implementação da feira, agora deve acabar a venda irregular de boxes. "O Termo de Permissão de Uso é intransferível. Não pode doar ou vender. Acabou a situação antiga", disse.

Oliveira afirmou que a lista de comerciantes da feira foi publicada no Diário Oficial da Cidade e os contemplados terão de pagar taxa de 910 reais. Posteriormente, segundo ele, será cobrada uma mensalidade, que ainda não teve o valor definido.

A reforma da feira foi anunciada no dia 30 de abril pela prefeitura, após uma recomendação do Ministério Público Estadual (MPE). O procedimento é baseado em relatório de março do Corpo de Bombeiros, que apontou irregularidades, como extintores vencidos, corredores estreitos e saídas de emergência bloqueadas.

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
São Paulo
Feira