Mais Lidas

  1. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. STF barra crédito extra de 100 milhões de reais para publicidade do governo

    Brasil

    STF barra crédito extra de 100 milhões de reais para publicidade do...

  4. 1º de Maio: Dilma oficializa reajuste de 9% no Bolsa Família

    Brasil

    1º de Maio: Dilma oficializa reajuste de 9% no Bolsa Família

  5. Família real britânica divulga fotos da princesa Charlotte

    Mundo

    Família real britânica divulga fotos da princesa Charlotte

  6. Marta Suplicy é vaiada em discurso em São Paulo. De novo

    Brasil

    Marta Suplicy é vaiada em discurso em São Paulo. De novo

  7. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  8. Cunha chama reajuste no Bolsa Família de irresponsabilidade fiscal

    Brasil

    Cunha chama reajuste no Bolsa Família de irresponsabilidade fiscal

Apenas 43,5% dos brasileiros têm acesso a saneamento básico

- Atualizado em

Apenas 43,5% dos brasileiros têm acesso a redes de esgoto. É o que mostra o levantamento Benefícios econômicos da expansão do saneamento básico, divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Trata Brasil e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ainda de acordo com a pesquisa, anualmente, 217.000 trabalhadores precisam se afastar de duas funções por problemas gastrointestinais ligados à falta de saneamento.

O estudo mostra, ainda, que a produção de um trabalhador com acesso a redes de esgoto chega a ser 13,3% maior, o que proporciona a ele a oportunidade de aumentar sua renda na mesma proporção. A estimativa é que a massa de salários, que atualmente gira em torno de 1,1 trilhão de reais, se eleve em 3,8%, provocando um aumento na renda de 41,5 bilhões de reais por ano.

A cada afastamento são perdidas 17 horas de trabalho, em média. A probabilidade de uma pessoa com acesso à rede de esgoto faltar às suas atividades por diarreia é 19,2% menor que uma pessoa que não tem acesso a saneamento básico. Considerando o valor médio da hora de trabalho no país de 5,70 reais e os afastamentos provocados apenas pela falta de saneamento básico, os custos chegam a 238 milhões de reais por ano em horas pagas e não trabalhadas.

De acordo com o banco de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus), dos 462.000 pacientes internados por infecções gastrointestinais, 2.101 morreram no hospital em 2009. "Com a universalização do acesso à rede esgoto teríamos uma economia de 745 milhões de reais em internações ao longo dos anos. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas teriam sido salvas", afirma Fernando Garcia, coordenador da pesquisa da FGV.

(Com Agência Estado)

TAGs:
Saneamento Básico
Brasil