Mais Lidas

  1. Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

    Economia

    Miriam Belchior é exonerada da presidência da Caixa

  2. Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três revelações do autor

    Entretenimento

    Produtores de ‘Game of Thrones’ ficaram chocados com três...

  3. Teori homologa delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado

    Brasil

    Teori homologa delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado

  4. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  5. Em gravação, Renan fala em mudar lei da delação

    Brasil

    Em gravação, Renan fala em mudar lei da delação

  6. Temer vence 1ª batalha e Congresso aprova meta fiscal

    Brasil

    Temer vence 1ª batalha e Congresso aprova meta fiscal

  7. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  8. 'Foi uma bela vitória', diz Temer, sobre aprovação de meta fiscal

    Brasil

    'Foi uma bela vitória', diz Temer, sobre aprovação de meta fiscal

Apenas 43,5% dos brasileiros têm acesso a saneamento básico

- Atualizado em

Apenas 43,5% dos brasileiros têm acesso a redes de esgoto. É o que mostra o levantamento Benefícios econômicos da expansão do saneamento básico, divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Trata Brasil e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ainda de acordo com a pesquisa, anualmente, 217.000 trabalhadores precisam se afastar de duas funções por problemas gastrointestinais ligados à falta de saneamento.

O estudo mostra, ainda, que a produção de um trabalhador com acesso a redes de esgoto chega a ser 13,3% maior, o que proporciona a ele a oportunidade de aumentar sua renda na mesma proporção. A estimativa é que a massa de salários, que atualmente gira em torno de 1,1 trilhão de reais, se eleve em 3,8%, provocando um aumento na renda de 41,5 bilhões de reais por ano.

A cada afastamento são perdidas 17 horas de trabalho, em média. A probabilidade de uma pessoa com acesso à rede de esgoto faltar às suas atividades por diarreia é 19,2% menor que uma pessoa que não tem acesso a saneamento básico. Considerando o valor médio da hora de trabalho no país de 5,70 reais e os afastamentos provocados apenas pela falta de saneamento básico, os custos chegam a 238 milhões de reais por ano em horas pagas e não trabalhadas.

De acordo com o banco de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus), dos 462.000 pacientes internados por infecções gastrointestinais, 2.101 morreram no hospital em 2009. "Com a universalização do acesso à rede esgoto teríamos uma economia de 745 milhões de reais em internações ao longo dos anos. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas teriam sido salvas", afirma Fernando Garcia, coordenador da pesquisa da FGV.

(Com Agência Estado)

TAGs:
Saneamento Básico
Brasil