Mercosul

Venezuela consolida participação

Katia Perin

A Venezuela assinou nesta terça-feira o Protocolo de Adesão ao Mercosul, que fixa um prazo de quatro anos para a plena incorporação do país andino ao bloco fundado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai em 1991. O protocolo será enviado aos Parlamentos dos cinco países nos próximos 30 dias. Em um prazo máximo de seis meses, o documento terá que ser ratificado para concretizar a nova participação.

O texto do Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul foi aprovado pelos chanceleres do bloco em 17 de junho, em uma reunião na capital da Argentina, país a cargo da Presidência temporária do bloco regional.

A entrada definitiva da Venezuela foi comemorada pelos setores diplomáticos de todos os países, mas recebida com ressalvas por empresários de Argentina, Brasil e Venezuela. Em geral, os governos concluem que a adesão da Venezuela favorece o país, que deixa de negociar sozinho com o mundo e passa a ter o suporte do Mercosul. Do outro lado, é bom para os demais sócios, que passam a integrar um bloco com um PIB superior a US$ 1 trilhão. Da parte do Brasil, até setores diplomáticos temem que as reuniões do Mercosul se transformem em palco para Chávez e sua retórica anti-EUA.

A próxima cúpula do bloco será em 20 e 21 de julho, em Córdoba (Argentina), onde os chefes de Estado pretendem assinar o novo código alfandegário comum e fechar acordos comerciais com Cuba, Israel e Paquistão.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados