Uma mulher muçulmana foi expulsa de comício de Trump

A aeromoça Rose Hamid fazia um protesto silencioso contra as declarações agressivas do pré-candidato, mas passou a ser alvo da hostilidade da plateia republicana

Rose Hamid foi hostilizada pelo público e escoltada para fora do local.
Candidato quer proibir a entrada de muçulmanos nos EUA.

Rose Hamid foi hostilizada pelo público e escoltada para fora do local.
Candidato quer proibir a entrada de muçulmanos nos EUA. (VEJA)

Uma muçulmana foi expulsa de um comício da campanha presidencial de Donald Trump depois de ter feito um protesto silencioso contra o pré-candidato republicano, que pediu a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

Imagens exibidas na televisão mostram um evento na Carolina do Sul no qual a mulher, Rose Hamid, uma aeromoça de 56 anos, que usava um hijab — véu islâmico — e uma camisa a frase: “Salam. Venho em paz”.

Hamid permaneceu de pé em silêncio, enquanto Trump acusava os refugiados sírios de serem membros do grupo terrorista Estado Islâmico.

A mulher foi escoltada para fora do local, enquanto os simpatizantes de Trump exibiam cartazes com o nome do pré-candidato em direção a Rose.

Rose Hamid disse que um dos simpatizantes do magnata do setor imobiliário gritou para ela: “Tem uma bomba, tem uma bomba”.

“Tudo ficou feio muito rápido e isto é muito assustador”, disse Hamid ao canal CNN após o comício de sexta-feira à noite.

Trump, que lidera as pesquisas para a indicação republicana para a Casa Branca, provocou grande polêmica no mês passado, quando pediu a proibição temporária da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos. Isto aconteceu depois que dois muçulmanos radicais cometeram um ataque na Califórnia que matou 14 pessoas.

Os críticos de Trump o acusam de estimular o ódio e a pré-candidata democrata Hillary Clinton afirmou que o empresário é o “principal recrutador” de extremistas do grupo Estado Islâmico.

Com AFP