UE teme ‘catástrofe’ com refugiados chegando durante o inverno europeu

'Não podemos deixar que as pessoas morram de frio', alertou o chanceler de Luxemburgo. No Canadá, o governo se prepara receber 25 mil sírios nas próximas semanas

A União Europeia (UE) fez nesta terça-feira um alerta sobre uma iminente “catástrofe humanitária”, à medida que milhares de refugiados tentar chegar em território europeu através dos Balcãs no momento em que o rigoroso inverno no Hemisfério Norte se aproxima. Neste ano, mais de 770.000 pessoas chegaram à UE pelo mar, surpreendendo as autoridades fronteiriças e lotando os abrigos. Muitos fizeram uma jornada longa caminhando através dos Balcãs, com objetivo de chegar à Alemanha e à Suécia.

Os 28 Estados-membros da UE se comprometeram a fornecer fundos para ajudar a lidar com a situação de emergência, além de distribuir os refugiados entre os países. Entretanto, os recursos e soluções estão surgindo lentamente. “A União Europeia deve fazer tudo o que for possível para evitar uma catástrofe, à medida que o inverno se aproxima”, declarou o ministro de Relações Exteriores de Luxemburgo, Jean Asselborn. “Não podemos deixar que as pessoas morram de frio nos Balcãs”, completou. Para ajudar a lidar com o influxo, a agência fronteiriça da UE, a agência europeia que cuida das fronteiras do bloco (Frontex), convocou 775 oficiais extras, mas os Estados-membros ofereceram até agora apenas metade desse total.

Leia também

UE prevê a chegada de 3 milhões de imigrantes entre 2015 e 2017

Mais refugiados cruzaram o Mediterrâneo em outubro do que nos nove primeiros meses de 2015

Chefe da diplomacia europeia diz que UE pode se ‘desintegrar’

Canadá – O governo do Canadá informou nesta está preparando os últimos detalhes para acolher 25.000 refugiados sírios ainda neste ano e cumprir uma das promessas eleitorais do primeiro-ministro recém-empossado, Justin Trudeau. O ministro de Imigração, John McCallum, anunciou que o governo quer para possibilitar a chegada dos refugiados nas próximas semanas. McCallum explicou que, nos últimos dias, recebeu apoio de prefeitos de várias cidades expressando a vontade de facilitar a chegada de milhares de refugiados sírios.

Mas o ministro canadense reconheceu que o governo Trudeau ainda tem que resolver os problemas logísticos do transporte de 25.000 pessoas em um curto prazo. De acordo com o ministro, uma possibilidade é utilizar companhias aéreas comerciais e a força aérea canadense para transportar os refugiados. “Todas as opções estão sobre a mesa, o que funcione, o que seja eficiente em custos, o que possa transportá-los de forma segura e rápida”, concluiu o ministro.

Histórico – O Canadá é um país que tem tradição em receber refugiados. Em 1979, o país anunciou que aceitaria no país refugiados vietnamitas e, em 18 meses, as autoridades canadenses trouxeram a seu território 60.000 cidadãos do país asiático. Antes, em 1957, o Canadá acolheu cerca de 37.000 pessoas que escaparam da Hungria após a invasão soviética. Ottawa fretou 200 voos comerciais para transportar os refugiados húngaros em menos de um ano.

(Da redação)