Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump reafirma: houve ‘culpa dos dois lados’ na Virgínia

"Você tinha de um lado um grupo mau e do outro um grupo violento", declarou o presidente americano

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu com agressividade nesta terça-feira a perguntas sobre seu posicionamento sobre os atos de violência registrados no último fim de semana em Charlottesville, na Virgínia, e voltou a responsabilizar tanto grupos neonazistas e de supremacia branca, quanto os manifestantes de esquerda.

O presidente americano se irritou com as perguntas sobre o motivo pelo qual esperou 48 horas para condenar explicitamente os grupos de ódio e racistas presentes nos protestos do fim de semana. Após muita pressão política, o presidente americano havia mudado o tom de suas declarações sobre o incidente na segunda-feira, quando acusou diretamente os supremacistas brancos, os membros da Ku Klux Klan e os neonazistas de estarem por trás da violência racial que deixou uma pessoa morta e várias feridas.

Trump afirmou que quis ser cuidadoso para não dar uma “declaração apressada” sem o conhecimento de todos os fatos. “Há dois lados em uma história”, disse, ressaltando que quando fez seus primeiros comentários, não sabia, por exemplo, que o histórico líder da Ku Klux Klan, David Duke, estava presente na marcha. Ele qualificou o incidente de “horrível” e chamou o suposto simpatizante nazista, que jogou o próprio carro contra manifestantes antirracismo, de uma “desgraça para si próprio, sua família e seu país”.

Mas, diante da avalanche de perguntas, Trump se irritou e defendeu sua primeira declaração. “Observei atentamente, muito mais atentamente do que a maioria das pessoas. Você tinha de um lado um grupo mau e do outro um grupo violento. Ninguém quer dizer isso”, afirmou durante uma entrevista coletiva em Nova York.

Trump  também defendeu o polêmico estrategista-chefe da Casa Branca, o ultradireitista Steve Bannon, ao afirmar: “Eu gosto de Bannon. Ele é meu amigo, é um homem bom, não é racista”.

A marcha “Unite the Right” (Unir a Direita), que terminou em confrontos no último fim de semana em Charlottesville, foi convocada em protesto contra a decisão de remover uma estátua do general Robert E. Lee, um general confederado considerado um símbolo da defesa da escravidão e do racismo. Embora tenha dado a entender que discorda da retirada deste tipo de monumento, Trump afirmou nesta terça-feira que acredita que o melhor é deixar essas decisões nas mãos das autoridades competentes em cada caso.

Após as declarações do presidente, o líder da Ku Klux Klan agradeceu Trump no Twitter por “dizer a verdade” e “condenar os terroristas de esquerda” pela violência.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Assisti à entrevista de Trump ao vivo pela CBC. Todas suas declarações foram neutras, sensatas e corretas. Bem diferente do que a mídia (inclusive a brasileira), em toda a sua má fé, tem propagado.

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    Lado_A + Lado_B => TRUMpT 😮

    Curtir

  3. Gilson Schnaider

    Brasi leiro e igual a venezu elano vota no lu la e depois esque ce aqui a esquer da pensa igual so por que trum p e muito bran co pensa que ele e red neck a midi a ameri cana esta o mes mo li xo que a do bra sil.

    Curtir

  4. Moro nos EUA e nao gosto nem um pouquinho do Trump, mas, tenho de concordar com ele: Quem ve os videos do caso pode ver claramente que os ” nazistas”/”nacionalistas” / “racistas” etc… sao atacados pelo outro lado. O problema todo foi pela retirada de uma estatua que esta la ha mais de 50 anos, mas, que agora, os “liberais de supra esquerda querem retirar do local onde se encontra. E um caso tipico de ” Nao gosto e por isso tem que sair”- O Trump infelizmente esta certo.

    Curtir

  5. Hattori Hanzo

    Na Guerra Civil dos Estados Unidos (1861-1865), os fazendeiros escravocratas dos estados do Sul eram filiados ao Partido Democrata e lutaram contra os republicanos do Norte, capitaneados pelo abolicionista Abraham Lincoln. Logo após o conflito, foi fundada a Ku Klux Khan, KKK, no Tenessee. Essa organização racista tinha entre os seus líderes vários políticos democratas.

    Curtir

  6. A imprensa tem que falar mal do Trump de qualquer jeito, mas mesmo assim ele tem razão.

    Curtir

  7. Guilherme Junqueira de Almeida

    Confundindo a violência do oprimido com a do opressor… típico da Extrema-Direita.

    Curtir

  8. Gentil Santana

    Neutralidade em relação ao racismo???? Liberdade de expressão tem limite. Defender uma ideia odiosa que tem em objetivo de declarar a superioridade de uma suposta raça com certeza já extrapolou em muito esse limite. Afinal se depender dessa gente (se é podemos chamar assim) o passo seguinte vai ser qual? A estória da humanidade responde com muitos exemplos.

    Curtir

  9. Luiz Chevelle

    Tô começando a achar que o Brasil tem mais “trumpetes” que os USA.

    Curtir