Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump assina lei que fixa meta para Nasa enviar humanos a Marte

A agência espacial americana não enfrentará os mesmos cortes que outras agências científicas e médicas, que devem perder grandes porções de seu orçamento

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta terça-feira uma lei que repassa 19,5 bilhões de dólares (60 bilhões de reais) à Nasa, reforçando o plano da agência espacial americana de enviar seres humanos para Marte até 2030.

Trump disse estar “encantado” em sancionar a lei em cerimônia no Salão Oval da Casa Branca, onde estava acompanhado dos congressistas que elaboraram o projeto, do vice-presidente do país, Mike Pence, e das autoridades da Nasa. “Há seis décadas, o trabalho da Nasa inspirou milhões e milhões de americanos a imaginar mundos distantes e um futuro melhor aqui na Terra”, disse Trump. “Essa lei reafirma nosso compromisso nacional com a missão central da Nasa: exploração do espaço e ciência e tecnologia espaciais.”

O presidente também citou a importância da transição das atividades de exploração espacial para o setor privado. Em 2011, a Nasa encerrou os voos de suas naves espaciais e, desde então, depende da Rússia para levar astronautas à Estação Espacial Internacional (ISS). “Empresas do setor comercial e do privado vão usar essas facilidades [da Nasa], e eu espero que eles nos paguem muito dinheiro, porque eles vão fazer grandes progressos”, disse o presidente americano.

Atualmente, várias empresas privadas, entre elas a Boeing e a SpaceX, estão trabalhando para realizar missões tripuladas para levar os astronautas americanos à ISS sem depender de outros países.

Por outro lado, Trump ressaltou que a lei sancionada nesta terça-feira apoia as atividades de exploração do espaço profundo (além da órbita da Terra). De fato, o texto fixa como objetivo de longo prazo enviar humanos à superfície de Marte até 2030.

Após assinar a lei, Trump recebeu de presente dos representantes da Nasa uma jaqueta de astronauta.

Em outubro do ano passado, o então presidente do país, Barack Obama, afirmou que os EUA estavam no caminho certo no setor espacial, com a cooperação entre o governo e investidores privados, para conseguir chegar a Marte na data estabelecida.

Cortes

A NASA não enfrentará os mesmos cortes que outras agências científicas e médicas, que podem perder grandes fatias de seu orçamento sob a proposta do presidente, apresentada na semana passada. De acordo com a proposta, a agência de proteção ambiental e agências que tradicionalmente recebem apoio bipartidário, terão cortes significativos de orçamento. Conforme reportou o jornal Washington Post, o National Institutes of Health (NIH), órgão americano de pesquisas médicas, perderia 6 bilhões de dólares (quase 20 bilhões de reais), o que representa um quinto do orçamento do NIH.

(Com EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Marcio Oliveira

    E ganhou um foguete espacial com rodinhas de brinde.

    Curtir

  2. Elisabeh Sanchez

    TOMARA QUE O TRUMP SEJA PASSAGEIRO NUMERO UM ELEVE CONSIGO OMONSTRO DA SÍRIA, SEU AMIGUINHO PUTTIN, MADURO, O MALUCO DA CORÉIA DO NORTE, E BOA VIAGEM SEM VOLTA.

    Curtir

  3. Putz…ele podia aproveitar e ir nessa viagem de ida sem volta. Só tenho pena de Marte que vai ser colonizada por uma besta alienígena. Se for por falta de adeus,…ADEUS idiota!

    Curtir

  4. Prefiro que levem nossos malfeitores!

    Curtir

  5. Guilherme Silva

    Senador Ted Cruz (o mais à esquerda na foto): “Você poderia mandar o Congresso pro espaço…”
    “Ei, que ótima ideia!”, respondeu o presidente.
    Tá aí um corte nos gastos do governo que muita gente adoraria ver.

    Curtir

  6. Bernardo Abaurre

    Acertou uma pelo menos

    Curtir

  7. Antonio Pedro

    Esse Aloisio é um boçal, até nas noticias boas o cara xinga o Trump!
    O senhor deve ser um mal amado, muda de vida cara!

    Curtir